Seu browser não suporta JavaScript!

29/10/2007 | Agência Tucana

Adulteração de alimentos pode virar crime hediondo

O deputado Otavio Leite apresentará nesta terça-feira projeto de lei tornando a adulteração de alimentos crime hediondo. A iniciativa foi tomada após os resultados da análise de mais de 50 mil litros de leite apreendidos em agosto em duas cooperativas mineiras. Segundo relatório do Ministério Público Federal (MPF), substâncias impróprias para o consumo, como soda cáustica, água oxigenada e citrato de sódio eram adicionados ao leite para aumentar o prazo de conservação e o volume do produto.

CRUELDADE

´Adulteração de alimento pressupõe alta dose de crueldade do agente criminoso. Logo, agravar a pena para crime hediondo implicará num alerta capaz de frear certos impulsos do lucro fácil´, explicou o tucano. No caso deflagrado em Minas Gerais, a substância era misturada ao leite cru - entre a ordenha e o beneficiamento-, e levava até quatro horas pra ser diluída. O tempo era suficiente para não aparecer nos testes de fiscalização do Ministério da Agricultura. Segundo as investigações, as empresas já adulteravam o produto há mais de um ano.

Segundo Otavio Leite, a apresentação do projeto foi motivada também pela impunidade, visto que os envolvidos já não estão mais presos e uma das cooperativas chegou inclusive a reabrir as portas. ´As últimas notícias deram conta que 13 das 27 pessoas presas após a descoberta do crime já haviam sido soltas. Precisamos socorrer a população e protegê-la de futuras adulterações similares´, atestou.