Seu browser não suporta JavaScript!

05/11/2014 | PSDB na Câmara

Aécio apresenta ao Brasil oposição revigorada e promete fiscalização permanente do governo Dilma

Por Luciana Bezerra

Um dia após ter sido recebido calorosamente em seu retorno ao Congresso, o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), comandou nesta quarta-feira (5) um ato que reuniu centenas de correligionários e lideranças da oposição na Câmara dos Deputados. Durante a reunião ampliada da Executiva Nacional do partido, o tucano propôs um pacto para construir uma “oposição revigorada” no país. “Quero reafirmar é que com a mesma determinação, a mesma coragem com as quais me preparei para governar, eu trago hoje para participar da nova oposição que aqui se reúne pela primeira vez”, afirmou o tucano, que conquistou mais de 51 milhões de votos na disputa pela Presidência da República. 

“Vamos com absoluta coragem, que não precisa resvalar para a ofensa, acompanhar as ações deste governo e qualificar a nossa oposição. Estou organizando um grupo de trabalho técnico que vai permanentemente avaliar as ações de cada uma das áreas da gestão Dilma Roussef governo”, anunciou o senador sob os aplausos da plateia que lotou completamente o Auditório Nereu Ramos.

 Antes de anunciar essa medida e conclamar todos os insatisfeitos com os desmandos do governo petista a participarem desse movimento, Aécio recebeu os elogios e palavras de força de integrantes do PSDB e dos demais partidos da oposição, como PP, PPS, DEM, Solidariedade e PSC. Eleito para o governo do Mato Grosso do Sul, o deputado Reinaldo Azambuja afirmou que o senador conseguiu revigorar a esperança de grande parte do povo brasileiro por uma nova política de seriedade, decência, transparência e, acima de tudo, resultado.

 “Temos que te agradecer pela coragem e por unir pessoas de outros partidos. Temos que nos manter trabalhando com dignidade. Vamos lutar juntos para que o país possa ter dias melhores. Temos muito orgulho de ter você conduzindo esse processo”, declarou o parlamentar, que, assim como Aécio, foi alvo de uma forte campanha negativa do PT durante o processo eleitoral no estado.

 Apontada por Aécio como “extraordinária figura e amiga por toda vida”, a senadora Ana Amélia (RS), que foi a candidata do seu partido na disputa pelo Governo do Rio Grande do Sul, pediu para que a oposição não se disperse e não desista do Brasil, numa referência ao candidato a presidente do PSB morto em agosto, Eduardo Campos. “Gratidão em política, às vezes, é um sentimento raro. Mas isso é o que marca também a personalidade deste jovem que tenho a honra de ter acompanho. E acompanharei sempre”, afirmou ao lado de Aécio.

 Capacidade conciliadora – Reeleito para o governo do Pará, Simão Jatene, destacou a capacidade conciliadora do tucano. “Acho que mais do que uma campanha, tu comandaste um reencontro da nossa gente com os seus sentimentos mais profundos. Isso não pode ser esquecido e apagado”, disse. “Obrigado pela tua garra, determinação, paciência, capacidade de juntar e fazer esse país sonhar de novo”, completou.

 Um dos mais emblemáticos integrantes do PSDB, o ex-senador e atual prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, também ressaltou o caráter agregador de Aécio e dirigiu muitas críticas à presidente Dilma Rousseff e ao PT. “O suposto derrotado é celebrado todos os dias, a vencedora se enclausura num mausoléu”, comparou. “Temos uma presidente fraca que vai levar para o G-20 (grupo de países emergentes) um ministro demissionário. Por que expor o Mantega (ministro da Fazenda) a esse vexame?”, questionou.

 O senador Cássio Cunha Lima (PB), que disputou o governo da Paraíba, contestou, especialmente, o método adotado pelo PT para difamar e atacar os adversários nas eleições. “Ganhar ou perder faz parte do processo. O que não se pode aceitar são práticas que se reproduzem no país inteiro”, enfatizou o parlamentar, que defendeu ainda a auditoria solicitada pelo PSDB ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o sistema de votação, apuração e contagem dos votos da eleição. “A urna eletrônica passou a ser um dogma, um dom supremo? Agora temos nas nossas crenças a liberdade, a vida e a urna eletrônica”, ironizou.

Os deputados do PSDB participaram em peso da reunião, assim como tucanos que foram eleitos e assumirão o mandato na Casa em fevereiro de 2015. 

Foto: Alexssandro Loyola