Seu browser não suporta JavaScript!

18/10/2007 | Blog do Noblat

Aeronaves da Aeronáutica não saem do solo

O comandante da Força Aérea Brasileira, brigadeiro Juniti Saito, pediu ajuda dos parlamentares para reforçar o orçamento da FAB. Em audiência a portas fechadas na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, Saito disse, segundo relato dos deputados, que das 719 aeronaves da Aeronáutica, apenas 267 estão voando. Outras 220 estão nos parques de manutenção, e 232 no chão nas unidades militares por falta de recursos para compra de peças. Ele lembrou que o tempo de vida útil da frota é de 20 anos, mas há aviões voando com mais de 30 anos.

Ao apresentar a situação da FAB, o brigadeiro fez uma comparação com o aparato aéreo dos países vizinhos da América do Sul. Segundo um parlamentar, Saito mostrou a ofensiva armamentista do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Com a compra dos aviões caças da Rússia, a força aérea venezuelana teria superado o Brasil em poderio ofensivo.´ Leia mais em O Globo

Apesar da promessa do governo federal de transferir parte dos vôos internacionais para o Rio, feita após a explosão do Airbus da TAM no congestionado aeroporto de Congonhas, o Orçamento da União para 2008 não tem recursos suficientes para garantir todas as obras necessárias à renovação do aeroporto Tom Jobim.

Segundo levantamento da Infraero, seriam necessários R$ 99,8 milhões para custear as reparações necessárias. Mas a proposta orçamentária prevê apenas R$ 4,3 milhões a serem investidos na modernização do terminal de cargas e outros R$ 31,7 milhões para recuperar o sistema de pátio e pistas. Os dados foram divulgados pelo deputado Otavio Leite (PSDB-RJ).

Para tentar garantir a execução das obras, a bancada do Rio, que tem 46 parlamentares, decidiu apresentar uma emenda conjunta de R$ 100 milhões.