Seu browser não suporta JavaScript!

15/06/2004 | Jornal O Dia

Agora, eles se dão bem

Depois de muitos atritos, Cesar Maia anuncia Otavio Leite como vice na chapa para prefeitura

No ninho dos tucanos, dois bicudos se beijam, sim. Ontem, o prefeito Cesar Maia apresentou o deputado estadual Otavio Leite (PSDB) como seu vice na chapa que disputará a reeleição. O ato selou a tão cobiçada aliança com o PFL, que já leva em conta as eleições de 2006, quando serão escolhidos os novos governadores e o presidente. A dupla não lembrava em nada o passado pouco cordial, que fez Otávio muitas vezes promover protestos na porta do Centro Administrativo São Sebastião, na Cidade Nova, e acusar Cesar de “imperial e prepotente”.

Para surpresa geral, Cesar chegou a dizer que de todos os concorrentes à vaga, Otávio era seu preferido, apontando a secretária municipal de Habitação, Solange Amaral, como sua testemunha. “É o que compõe melhor a chapa. Otávio agrega juventude e não tem nenhum toque de atrito interno”, garantiu. Para Cesar, o casamento dos partidos será longo: “É uma aproximação orgânica”.

Em troca do apoio, no caso de vitória, o PSDB levará duas secretárias permanentes e uma provisória. Provavelmente, a dos Deficientes Físicos, proposta por Otávio. “Estou à disposição. Sou um vice dedicado, para o que der e vier”, garantiu. O almoço político ontem, no Palácio da Cidade, sede oficial da Prefeitura do Rio, reuniu representantes do PRTB, PV, PSDB e PFL. O tucano foi ciceroneado pelo presidente do partido, o ex-governador Marcello Alencar, que demonstrou não estar bem de saúde. Caberá a Otávio liderar a coordenação do programa de governo.

Almoço político pode acabar no Ministério Público

Já o secretário de Transportes, Arolde de Oliveira, será responsável pelo conselho político. Cesar só iniciará campanha nas ruas em 15 de agosto. Pessoas ligadas a ele acham que o casamento harmonioso pode durar pouco. Otávio e Cesar mostram-se adversários por natureza. Eles já brigaram por projetos que dão nome às ruas e pelo uso de armas por guardas municipais. Leite chegou a classificar como “absurdas” as obras do Rio Cidade.

A apresentação da chapa, ontem, pode gerar problemas eleitorias. O juiz do Tribunal Regional Eleitoral, Luiz Márcio Vitor Alves Pereira, pedirá explicações sobre o uso do Palácio da Cidade para o ato político. Ele encaminhará o caso ao Ministério Público.