Seu browser não suporta JavaScript!

08/06/2013 | Portal Terra

Ainda em obras, Galeão aumenta efetivo para Copa das Confederações

Por Cirilo Júnior

Às vésperas da Copa das Confederações, o aeroporto do Galeão, principal ponto de entrada do Rio de Janeiro para quem chega de avião, segue em obras que se arrastam há pelo menos cinco anos e ainda estão longe de serem concluídas. Segundo a Infraero, estatal que administra o aeroporto, a reforma dos dois terminais de passageiros ainda tem menos de 30% das obras concluídas. O Terminal 2, cujas obras começaram em 2008, tem 27% do previsto executado. Já o Terminal 1, cujas obras foram iniciadas em agosto do ano passado, tem 18% da área de reforma prevista pronta. O investimento total na reforma chega a R$ 675 milhões.

De acordo com levantamento do deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ), com base em dados do Ministério do Planejamento, dos R$ 660,1 milhões liberados no orçamento, entre 2011 e abril de 2013, para a reforma do aeroporto, apenas R$ 126,7 milhões, o equivalente a 21%, foram utilizados. Segundo ele, os recursos não são devidamente aplicados por má gestão. Ele aponta que a Infraero virou espaço para negociações políticas.

“De 2006 a 2010, a Infraero teve cinco presidentes. Não dá para a administração ter um curso regular com tanta instabilidade política”, afirmou o deputado, que faz parte da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados.

Com as obras, parte do Terminal 1, o mais antigo do aeroporto, está interditado. Para que o passageiro tenha que atravessar a pé para o Terminal 2, ele tem que passar pelo lado de fora, até pegar o corredor que liga as duas partes do aeroporto. Quem segue para o Terminal 2 não tem esteiras rolantes à disposição. Mas há carrinhos elétricos prontos para transportar os passageiros que tenham dificuldade de locomoção.

A obra do Terminal 1 está orçada em R$ 254,1 milhões, e tem previsão de término para abril de 2014. Já os ajustes no Terminal 2 estão orçados em R$ 316,5 milhões, com entrega também prevista para abril do ano que vem.

Com isso, a Infraero prevê que a capacidade de passageiros vai aumentar dos atuais 17,4 milhões/ano para 43,2 milhões/ano. A projeção é que o aeroporto receba 20,2 milhões de passageiros em 2014, ante 14,9 milhões que passaram pelos dois terminais no ano passado.

O aeroporto do Galeão é o principal ponto de entrada do Rio de Janeiro para quem chega de avião Foto: Mauro Pimentel / Terra O aeroporto do Galeão é o principal ponto de entrada do Rio de Janeiro para quem chega de avião Foto: Mauro Pimentel / Terra

“Chego ao absurdo de sentir que quanto mais se investe em obras no Galeão, mais ele piora. É inacreditável. As obras se arrastam desde 2008, e no entanto, não temos a porta de entrada do Rio organizada. O Galeão é um aeroporto desarrumado, com obras que não se concluem”, observou Otavio Leite.

Na última quinta-feira, os sinais da proximidade da Copa das Confederações já começavam a ser percebidos no aeroporto. Estandes de orientação voltados para quem chega para o evento já estão posicionados, embora ainda não estivessem em funcionamento. No aeroporto fica localizado também um dos três pontos, no Rio de Janeiro, de entrega dos ingressos comprados para os jogos da competição. A movimentação era bem tranquila, sem qualquer fila formada.

Nos arredores do aeroporto, foram instaladas placas com informações em português e inglês especialmente voltadas para quem chega para a Copa das Confederações. Elas indicam a localização de pontos considerados estratégicos, como o Maracanã, onde acontecem os jogos, o Aeroporto Santos Dumont e a Zona Sul, onde se concentra a maior parte dos hotéis.

É possível notar facilmente sinais das obras que estão ocorrendo Foto: Mauro Pimentel / Terra É possível notar facilmente sinais das obras que estão ocorrendo Foto: Mauro Pimentel / Terra

?A partir da próxima quarta-feira, o efetivo de funcionários no Galeão vai aumentar 30% para atender à demanda prevista com a Copa das Confederações. Até o dia 3 de julho, os terminais do aeroporto terão 271 empregados nas áreas de operações, manutenção e orientação ao passageiro. Normalmente, são 208 funcionários atuando desta forma.

A equipe de limpeza do aeroporto também será ampliada durante o evento futebolístico. Atualmente, o efetivo é de 389 pessoas. A partir de quarta-feira serão 655 funcionários. Já nos balcões de informações, serão 25 atendentes se revezando, para fazer atendimentos em português, inglês e espanhol.

A projeção da Secretaria de Aviação Civil do governo é que, nos três dias de jogos previstos para o Rio de Janeiro, passem, em média, 33,5 mil passageiros pelo Galeão e pelo Santos Dumont. O movimento projetado fica bem abaixo do registrado na alta temporada de dezembro de 2012, quando embarcaram ou desembarcaram, em média, 75 mil passageiros/dia nesses aeroportos.