Seu browser não suporta JavaScript!

22/03/2006 | Jornal do Brasil

Alckmin: ´São Paulo não tem ladrão´

Vaiado por manifestantes na inauguração de uma central de serviços públicos na Zona Norte da capital paulista, o governador tucano Geraldo Alckmin disse ontem que “em São Paulo não tem ladrão”. O pré-candidato do PSDB à Presidência foi acusado de fazer campanha eleitoral.

– A gente vê por aí, em outros governos, dinheiro sendo roubado, desperdiçado. Aqui em São Paulo vocês podem ficar tranqüilos que não tem ladrão. Em nosso partido nós podemos olhar nos olhos de vocês – reafirmou Alckmin.

O pré-candidato tucano voltou a elogiar o prefeito do Rio, Cesar Maia (PFL), dizendo que é extremamente qualificado para concorrer ao governo do estado. Na sexta-feira, Geraldo Alckmin estará no Rio para conversar com o prefeito. Cesar Maia pediu alguns dias ao presidente do PFL, Jorge Bornhausen, para pensar sobre a possibilidade de candidatura própria. Eles se reúnem amanhã, também no Rio, para chegar a um acordo.

O prefeito garantiu, porém, que não será candidato porque não pretende deixar o cargo para o vice tucano, Otavio Leite. Na Câmara Municipal, o PSDB faz oposição a Cesar.

Alckmin também esboçou uma espécie de pacto de não-agressão com o ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PMDB). Eles já conversaram por telefone em pelo menos duas ocasiões nos últimos dias. Em público, Garotinho tem poupado Alckmin e o PSDB das críticas pesadas que costuma dirigir ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao PT.

Esse acordo poderá vir a ser alterado caso, nos próximos meses, se consolide a hipótese de que Lula irá ao segundo turno. Garotinho e Alckmin disputariam a segunda vaga. Logo, terão que se atacar.