Seu browser não suporta JavaScript!

13/07/2015 | Jornal Lance! e Portal Terra

'Se alterarem no Senado soará como tentativa para a MP caducar', diz relator

Por Fábio Suzuki 

Relator da MP do Profut, o deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) trabalha há mais de dois anos dentro do Congresso para a aprovação de uma medida que refinancia a dívida fiscal dos clubes de futebol. Na semana passada, esteve envolvido no acordo feito entre parlamentares e interessados na proposta como governo, clubes e CBF para que o documento fosse aprovado na Câmara dos Deputados. Com a expectativa do texto ser votado hoje pelo Senado neste que seria o último passo no trâmite da MP para ela ser sancionada pela presidente Dilma, Leite diz nesta entrevista ao L! que está otimista com a aprovação do texto pelos senadores e seu conteúdo hoje está bem mais amplo que anteriormente. 

Como relator da MP do Profut, qual a expectativa sobre a votação do texto no Senado?

Espero que o texto da MP seja aprovado na íntegra. Apesar do documento não ter saído da Câmara como eu gostaria, sobretudo com a retirada da mudança no sistema de votos para as federações, acredito que será um grande avanço caso ele seja aprovado do jeito que está. Se for comparar, o texto atualmente está bem mais amplo do que foi apresentado no início desse processo. Estou otimista que será aprovado.

O trâmite da MP na Câmara foi demorado e polêmico. A votação no Senado tende a ser mais fácil?

Acredito que sim. Eu já conversei com os senadores Aloysio Nunes (PSDB-SP) e Cássio Lima (PSDB-PB), que é líder do PSDB no Senado, e a expectativa é que a MP seja aprovada. O tema é suprapartidário e a liderança do governo (Delcídio Amaral/PT-MS) também afirma que irá aprovar o texto sem problemas. O Senado é conhecida como a “Casa Revisora” mas pelo pouco tempo que há para a aprovação do documento os senadores devem aprovar o texto sem restrição.

Caso haja alguma mudança e o texto volte para a Câmara, haverá tempo hábil para a MP ser sancionada até o fim da semana?

Teria tempo mas o trâmite não é tão simples assim. Caso haja alguma alteração no conteúdo do texto pelos senadores soará como uma tentativa para fazer a MP caducar. Isso porque a Comissão que analisou o texto antes de ir para a Câmara era uma Comissão mista, formada tanto por deputados como também por senadores.

Otavio Leite é o relator da MP do Profut (Foto: Gustavo Lima)