Seu browser não suporta JavaScript!

14/10/2011 | Jornal Lance! Net

Amigos de Teixeira dominam Comissão da Lei da Copa

Por Daniel Leal e Leo Burlá

Quatro dos cinco membros da diretoria da Comissão Especial da Lei Geral da Copa, criada na Câmara dos Deputados para analisar e dar parecer sobre a legislação referente ao Mundial, possuem ligações com Ricardo Teixeira, presidente do Comitê Organizador Local (COL) e da CBF. Um deles, José Rocha (PR-BA), que está fora do país em missão oficial, recebeu R$ 150 mil da entidade para campanhas eleitorais (veja acima).

Instalada na última terça-feira, a Comissão irá analisar as mudanças no texto da Lei Geral da Copa propostas pela Fifa durante reunião com a presidente Dilma Rousseff, na semana passada.

Um dos pontos mais polêmicos diz respeito à meia-entrada para estudantes e para idosos, garantidas, respectivamente, por leis estaduais e federal. A Fifa deseja o fim do benefício durante o período da Copa.

O bom trânsito dos parlamentares com Teixeira poderia fazer com que as vontades da entidade fossem atendidas mais facilmente.

O ex-atacante e deputado Romário (PSB-RJ), membro titular da Comissão, acredita que os parlamentares ficariam marcados negativamente caso agissem em favor da CBF.

– Se eu sentir por parte de alguns que existe um lobby para que a CBF e a Fifa saiam com vantagem e que o governo e o povo percam, vou ser o primeiro a gritar – afirmou.

Teixeira deverá encontrar em breve seus conhecidos. O deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) já apresentou requerimento para que o cartola preste esclarecimentos à Comissão, assim como o ministro do Esporte, Orlando Silva, e representantes da Fifa.

– A presença deles é um pressuposto para que o debate posa ser travado de maneira séria – disse Leite.

A COMISSÃO ESPECIAL

O que é

As Comissões Especiais da Câmara são temporárias e têm a função de emitir parecer sobre questões competentes a mais de três Comissões Permanentes.

Membros

A diretoria é composta por um presidente, um relator e três vices, todos eleitos pela Câmara. Os demais membros titulares e suplentes são indicados pelo presidente da comissão ou por líderes de bancada.

Poderes

A Comissão Especial discutirá o texto atual da Lei Geral da Copa e as mudanças propostas pela Fifa em reunião recente com a presidente Dilma Rousseff. O grupo poderá propor emendas antes do Projeto de Lei ir a votação na Câmara.

Posição inicial

Vários membros da Comissão já manifestaram disposição em confrontar a Fifa, principalmente em relação à meia-entrada. O tema será alvo de longa discussão.

Com a palavra - Romário, deputado federal e membro titular da comissão

'Se pensarem na CBF, talvez nem voltem'

A interferência nos trabalhos da Comissão poderia até acontecer, mas creio que não haverá. Hoje o político é diferente do político de antes. Essa Lei Geral é algo de importância para o povo. Os partidos escolheram pessoas que possam ajudar o Brasil neste momento. Eles sabem que se fizerem alguma coisa com o objetivo de ajudar a CBF e não a sociedade brasileira, ficarão marcados. O político de hoje entende que sua obrigação é fazer algo direcionado para o povo. Em relação à Copa, independe deles (deputados) terem algum tipo de ligação com a CBF ou outras empresas relacionadas ao Ricardo Teixeira. Se eles ficarem pensando em se promover ou fazer o que é melhor para a CBF, talvez nem voltem mais para a política.

Bate bola com Renan Filho, presidente da Comissão Especial da Lei Geral da Copa

Como o senhor vê o fato de parlamentares da Comissão Especial possuírem ligações com a CBF?

Muitos deputados são ligados ao mundo esportivo, mas isso é algo normal nas comissões. Na Comissão de Educação e Cultura, por exemplo, há muitos professores. Na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, há grandes juristas e ex-juízes.

A relação de parlamentares com a CBF poderá influenciar os trabalhos da Comissão Especial?

Acho que não. Na primeira reunião da Comissão, o que ouvimos foi no sentido de garantir a soberania nacional e os direitos sociais do povo brasileiro e negociar com a Fifa para que ela aceite. Se os deputados estão manifestando esse interesse, garantindo os direitos do povo, não estão atendendo outros interesses.

O senhor defende a manutenção da meia-entrada durante a Copa?

Defendo a meia-entrada para o idoso. Temos legislação federal para isso. E também o desconto para estudante, apesar de não termos lei federal, o que acontecerá em breve. Traremos representantes de entidades para discutir essas questões. Acho que a Fifa também aceita debater. Ela não é contra, só não queria arcar sozinha com esse custo.