Seu browser não suporta JavaScript!

22/10/2003 | Jornal do Brasil

Assembléia aprova contas do governo

""Ficam aprovadas as Contas do Poder Executivo do Estado do Rio de Janeiro, referentes ao exercício de 2002"". Este parágrafo, que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro vai aprovar hoje, às 11h, ""celebra o acordo tácito entre os ex-governadores Anthony Garotinho e Benedita da Silva"", como anuncia o líder estadual do PSDB, deputado Otavio Leite. Ou, como prefere o líder do governo, Noel de Carvalho, evita o que seria ""uma declaração de guerra do Rio contra o governo Lula"".

- No imaginário parlamentar, o Rio estaria praticando um suicídio em massa caso rejeitasse as contas da Benedita, logo, do PT, e aprovasse as do Garotinho. A votação será tranqüila - calcula Noel de Carvalho.

A bancada do PT, reunida ontem à tarde para avaliar se vota em bloco ou libera os parlamentares para aprovar, ou não, as contas da dupla executiva que governou o Estado na última gestão, não chegou a um consenso. Optou por manter a reunião em aberto para decidir o que fazer apenas uma hora antes de seguir para o Plenário da Casa.

Líder do PT na Alerj, o deputado Carlos Minc prefere conhecer o pensamento da bancada, antes de antecipar o que considera o fato mais provável, que é a aprovação dos gastos dos últimos dois governantes.

- Não chegamos a nenhuma decisão durante este primeiro encontro. Na análise preliminar que fizemos até agora, no entanto, não foi encontrado nenhum sinal de desvios ou outro ilícito qualquer. São questões técnicas que o corpo técnico do Tribunal de Contas do Estado aponta e que precisam ser mais bem compreendidas - disse.

O parecer do deputado Edson Albertassi (PSB) é claro quanto à inconstitucionalidade da separação nas contas públicas entre os mandatos de Garotinho e Benedita. Quanto à aplicação dos recursos, apesar das críticas à gestão da atual ministra da Assistência e Promoção Social à frente do Estado, é favorável à aprovação das despesas realizadas.