Seu browser não suporta JavaScript!

18/01/2010 | Jornal do Brasil on Line

Atraso nas obras do Aeroporto Internacional Tom Jobim

Por Caio de Menezes

RIO DE JANEIRO - Em 2011, cerca de 4.500 atletas, de mais de 130 países, vão desembarcar no Rio para competir nos Jogos Mundiais Militares. A pouco mais de um ano do evento, porém, uma das mais importantes portas de entrada na cidade, o Aeroporto Internacional Tom Jobim, segue como um canteiro de obras. E segundo vistoria realizada nesta segunda-feira por integrantes da Comissão de Turismo da Câmara Federal e da Associação Brasileira das Agências de Viagens seção Rio de Janeiro (Abav-RJ) o cronograma vai atrasar. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) já havia revisto a conclusão de alguns trabalhos, como a conclusão do Terminal 2, que só serão entregues em 2012. Enquanto o bate-estaca não cessa, o jeito é lidar com os transtornos.

Apesar do atraso, o grupo de fiscais considerou que as obras estão sendo bem realizadas. A equipe, no entanto, reconhece que não serão apenas os atletas e turistas que virão ao Rio para as competições militares que vão enfrentar problemas. O presidente da Abav-Rj, Luiz Strauss, diz que o passageiro que chegar ao Rio pelo Galeão para assistir à Copa de 2014 também vai engolir poeira nos terminais.

– Temos de ter ciência que na véspera dos eventos ainda haverá operário fixando pregos, acertando os últimos detalhes – previu.

O deputado federal Otavio Leite (PSDB) considera necessário recuperar o tempo perdido no início das obras (orçadas em R$ 648,45 milhões), a fim de não prejudicar o turismo na cidade.

– Será necessário maior velocidade na execução das obras. O Terminal 2 (T2) está atrasado, o que torna precária a utilização do aeroporto, num momento em que o Rio está recebendo maior atenção lá fora, e aqui também. Os eventos estão próximos, ainda há muito o que ser feito, embora as melhorias sejam visíveis – disse, citando o Setor Vermelho, para embarques internacionais, que será inaugurado nesta quarta-feira.

O político também elogiou o funcionamento das esteiras rolantes e a reforma de 44 banheiros do lugar.

A Infraero promete inaugurar, até o fim do ano, outras 144 posições de check in, além das 96 existentes hoje.

Infraero está otimista

Para o superintendente do aeroporto Tom Jobim, André Luis Marques, os problemas decorrentes do atraso não são graves.

– O Aeroporto foi revitalizado, a sala de embarque internacional está 35% maior. Não temos problemas quanto a recursos, as obras serão concluídas no prazo – garantiu.

O coordenador do curso de Turismo da UniverCidade, Maurício Werner, que acompanhou a vistoria, disse que as obras “caminham bem”.

– O aeroporto está melhorando, os resultados estão aparecendo. A Infraero faz um bom trabalho, mas acho que ainda falta planejamento e articulação política com os governos estadual e municipal.