Seu browser não suporta JavaScript!

12/08/2003 | Jornal Textus

Barqueata vistoria lagoas da região

A Comissão Pró-Emissário da Alerj realizou no último dia 10, uma vistoria pelas Lagoas da Tijuca e Canal de Marapendi. O obejetivo das barqueata foi inspecionar, ao lado de técnicos ambientalistas, o complexo lagunar da região e seu índice de poluição.

Na última vistoria, o deputado constatou que parte do espelho d,água das lagoas não possuía mais de meio metro de profundidade. Estiveram presentes os deputados Otavio Leite (PSDB), Ely Patrício (PFL) e Roberto Dinamite (PMDB), o biólogo Mário Moscatelli, síndicos de condomínios da região, representantes das Câmaras Comunitárias da Barra da Tijuca e Jacarepaguá, de associações de moradores e de organizações não governamentais - ONGs - ,voltadas à causa de preservação do meio ambiente.

Nessa nova inspeção, foi constatado um quadro estarrecedor: o esgoto continua sendo despejado in natura nas Lagoas - ao todo são duas toneladas por segundo, comprometendo todo o complexo lagunar e, futuramente, as praias, caso as obras de saneamento da região não sejam concluídas a curto prazo.

Outros flagrantes que denunciam a degradação ambiental é a densa massa de esgoto que se formoul no fundo das lagoas e dejetos boiando em sua superfície, como também o amontoado de lixo às suas margens. A devastação dos manguesais é outro crime que se revela diante dos olhos de todos e o espelho d"água que, em alguns pontos, não ultrapassa 20 centímetros de profundidade.

Terminada a barqueata, a Comissão Pró-Emissário, presidida pelo deputado Otavio Leite, deu início à audiência pública. O parlamentar revelou que um dos consórcios responsáveis por um dos lotes do empreendimento - que se divide entre o emissário submarino, estação de tratamento e rede coletora de esgotos de Jacarepaguá - está em vias de se desfazer, o que pode atrasar ainda mais as obras, parcialmente paralisadas.

O biólogo Mário Moscateli, denunciou que "o poder público pratica um estelionato ambiental, ao cobrar por serviços que não são oferecidos". Moscateli lembrou ue o Rio Arroio Fundo, que desemboca na Lagoa do Camorim, está tão poluído quando o Rio Sarapuí,com o agravante de que " o Arroio Fundo corta a Vila Olímpica, onde serão realizados os Jogos Pan Americanos".