Seu browser não suporta JavaScript!

11/07/2014 | Jornal O Globo

Câmara deve votar Proforte nesta terça-feira

Câmara deve votar Proforte na terça-feira

As cobranças do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, somadas à pressão da opinião pública após a goleada imposta pela Alemanha devem repercutir na Câmara Federal, em Brasília. Influenciados pelas críticas aos problemas estruturais envolvendo o futebol, os deputados planejam incluir na pauta de votação em plenário, na próxima terça-feira, na reunião do Colégio de Líderes dos Partidos, o projeto de lei do Proforte - Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte (LRFE) -, cujo objetivo é moralizar a gestão dos clubes.

A LRFE, substitutivo do deputado Otavio Leite (PSDB), foi aprovada em 7 de maio pela Comissão Especial do Proforte. O texto não prevê anistia das dívidas e estabelece uma série de obrigações e regras de governança para os clubes que, se cumprirem todas elas, poderão aderir a um parcelamento dilatado (25 anos) para o pagamento dos seus débitos com Imposto de Renda, INSS, Timemania, FGTS e Banco Central. Pelas contas do deputado, a União arrecadará cerca de R$ 140 milhões por ano.

O projeto promoverá uma mudança estrutural nas práticas administrativas dos clubes brasileiros e, ao mesmo tempo, permitirá que eles possam sair do atoleiro financeiro em que se encontram. É um projeto que permite à União recuperar créditos que, até então, eram improváveis de serem pagos - disse Leite.

Ex-craque apoia

A proposta tem o apoio de integrantes do Bom Senso FC e do deputado federal Romário (PSB), que anteontem escreveu um post numa rede social criticando o projeto original, que previa o pagamento de apenas 10% das dívidas dos clubes, que investiriam os 90% restantes na formação de atletas: "E todas essa má gestão que tem destruído o nosso futebol, infelizmente, tem sido respaldada há anos pelo Congresso Nacional com anistas e mais anistias destes débitos (...) Parece até deboche", atacou Romário, que elogiou o novo texto.