Seu browser não suporta JavaScript!

23/06/2008 | Agência Câmara

Câmara relembra trajetória política de Artur da Távola

A trajetória política e o trabalho cultural do ex-deputado, ex-senador e jornalista Artur da Távola foram ressaltados nesta segunda-feira durante sessão solene do Plenário. Artur da Távola morreu em maio, aos 72 anos, vítima de problemas cardíacos. Autor do requerimento para a realização da homenagem, o deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) presidiu a sessão e lembrou que Artur da Távola foi um dos fundadores do PSDB e líder do partido e do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Otavio Leite leu mensagem do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, que ressalta a atuação de Artur da Távola durante a Assembléia Nacional Constituinte, entre 1987 e 1988, na qual foi um dos parlamentares mais atuantes. Chinaglia lembrou que Artur da Távola nasceu durante a ditadura do Estado Novo e foi perseguido por outra ditadura, a dos militares. ´Mas nem por isso ele perdeu a crença na política e a permanente disposição de defender a democracia e os direitos humanos´, destacou o presidente da Câmara na mensagem.

Durante a Constituinte, Artur da Távola foi um dos autores do capítulo sobre Comunicação Social, sendo responsável pela adoção do princípio de complementaridade entre os sistemas privado, público e estatal, e pelo regime de outorga e renovação de concessões de rádio e TV. ´Isso foi obtido sem alarde, com equilíbrio, conforme o seu jeito de fazer política´, afirma o texto.

Pseudônimo

O deputado Otavio Leite lembrou que Artur da Távola era, na verdade, um pseudônimo que Paulo Alberto Monteiro de Barros adotou ao retornar do exílio, após ter seu mandato cassado pela ditadura militar. O deputado destacou também o trabalho do político na área cultural, pois manteve na Rádio Senado e em outras emissoras o programa ´Quem tem medo de música clássica´, onde procurava levar ao público uma de suas paixões, a música erudita.

Otavio Leite relembrou ainda a amizade de seu pai, Fernando Prado Leite, com Artur da Távola, assim como as homenagens que o político recebeu, por ocasião de sua morte, do governador de São Paulo, José Serra, e do líder do PSDB na Câmara, deputado José Aníbal (SP). ´Temos o papel de enaltecer a importância de um dos nossos melhores homens públicos e de reconhecer essa figura exemplar da nossa história´, afirmou o deputado.

Durante a sessão solene, o deputado Mauro Benevides (PMDB-CE), que foi vice-presidente da Assembléia Nacional Constituinte, prestou homenagens a Artur da Távola em nome do PMDB e lembrou a convivência com o ex-senador nos trabalhos de elaboração da Constituição.