Seu browser não suporta JavaScript!

11/08/2004 | Jornal O Dia

Candidatos evitam encontros

O clima entre os prefeitáveis na OAB não foi mesmo de cortesia. Jorge Bittar foi o primeiro a discursar. Após sua apresentação, enquanto conversava com jornalistas fora do plenário, Jandira Feghali passou pelo concorrente como se não o tivesse visto. Daí por diante, a seqüência de “desencontros” se repetiu. Jandira deixou a sala por uma porta e Conde entrou por outra. A cena foi a mesma com Marcelo Crivella e Cesar Maia.

Os raros episódios de cordialidade foram protagonizados por Jandira, que cumprimentou o coordenador do programa de governo de Bittar, Luis Antônio Elias. “Quando você me vê, teu coração balança”, cochichou a candidata no ouvido dele, em referência ao tempo em que eram “parceiros de luta”. À época, Elias era presidente da associação de funcionários do Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Segundo Jandira, era desejo de ambos ver as candidaturas dela e Bittar juntas antes da campanha.

A segunda troca de delicadezas ficou por conta dos vices Otavio Leite (Cesar) e Kathia Kosloswki (Crivella), que se cumprimentaram no corredor.

Wagner Cavalcanti, secretário-adjunto da OAB, não economizou elogios a Crivella. Ele lembrou do tempo em que trabalharam juntos num programa de TV e elogiou o candidato por respeitar o tempo da apresentação. “É um prenúncio de vitória”, exclamou Cavalcanti. “Que Deus o ouça”, agradeceu Crivella.

Bittar também foi elogiado. “Temos que ser gratos àqueles que nos socorrem nos momentos difíceis”, afirmou Octávio Gomes, presidente da OAB-RJ, referindo-se ao incêndio no Tribunal Regional do Trabalho, há dois anos. Gomes e Cavalcanti legislaram pela categoria ao pedir aos candidatos soluções para engarrafamentos nas proximidades do Tribunal de Justiça (TJ). Cavalcanti sugeriu construção de passarela ou passagem subterrânea para pedestres em frente ao TJ.