Seu browser não suporta JavaScript!

11/09/2012 | Jornal O Globo on line

Candidatos a prefeito do Rio apostam em campanha na web

RIO - O quanto a campanha na web pode influenciar o resultado das urnas? A última eleição presidencial dos Estados Unidos, com forte presença do candidato vencedor, Barack Obama, nas redes, mostrou que a internet pode ajudar o eleitor a escolher seu candidato. Procurando conquistar esse eleitorado, os quatro candidatos líderes nas pesquisas de intenções de voto no Rio montaram verdadeiros times que, ao mesmo tempo, monitoram o que acontece na rede e criam conteúdo exclusivo para que o internauta possa ficar por dentro das propostas de cada um.

Até agora, o candidato que mais mobilizou as redes foi Marcelo Freixo (PSOL). Seja no Twitter ou no Facebook, sua presença é garantida tanto pela militância de seu partido quanto por seu eleitorado, que tem um perfil predominantemente jovem. Para tentar administrar todo o conteúdo criado diariamente e, muitas vezes, espontaneamente — como as hashtags #fechocomfreixo ou #vaitersegundoturno, que chegaram aos trending topics (assuntos mais comentados do dia no Twitter) e foram criadas por eleitores — a campanha montou um QG, onde quatro jovens com idades entre 20 a 28 anos, capitaneados pela coordenadora de comunicação Renata Stuart, passam o dia rastreando a web e alimentando a Fan Page do candidato no Facebook, que é seguida por 45 mil pessoas e alcança 1,3 milhão por semana. A campanha de Freixo na web também rende frutos quando o assunto é financiamento da candidatura: até o dia 31 de agosto, ele já havia recebido R$ 87.421 de doações feitas via Internet, de 957 pessoas diferentes.

— A equipe foi formada por meninos e meninas militantes, que entendem o mecanismo das redes e fazem parte dele. A ideia de fazer twitcams com o Freixo, respondendo perguntas dos eleitores foi de um deles, e já é um sucesso. Na nossa terceira edição, há duas semanas, alcançamos 3 mil pessoas no horário da novela — comemora Renata, que não se mete no Twitter de Freixo. — Foi ele mesmo que criou e é ele mesmo quem tuíta. Não falamos para ele abordar determinado tema, só damos um puxão de orelha quando ele fica muito tempo sem tuitar.

Líder em intenções de voto, o candidato Eduardo Paes (PMDB) também é o campeão de seguidores no Twitter: o número passa de 100 mil, maior que a soma dos seguidores de todos os concorrentes. Apesar da popularidade, a campanha peemedebista preferiu criar um perfil exclusivo para falar das propostas da candidatura. Até agora, o perfil tem menos de 500 seguidores e nunca foi retuitado pela conta principal de Paes. Procurada, a coordenação da campanha não comentou o assunto. Já no Facebook, a Fan Page do candidato é curtida por cerca de 17 mil pessoas.

A dupla Rodrigo Maia (DEM) e Clarissa Garotinho (PR) também é velha conhecida dos internautas. Os candidatos a prefeito e vice da chapa encabeçada pelo DEM começaram a explorar o Twitter ainda como deputados, para divulgar projetos de lei apresentados e o dia a dia nos plenários. Para campanha, foi formada uma equipe de três pessoas para alimentar os perfis de ambos com conteúdo exclusivo, como fotos e vídeos. No entanto, há uma diferença clara entre os dois perfis: o de Rodrigo, que tem mais de 10 mil seguidores, é atualizado pela coordenação de campanha; já o de Clarissa, com 7 mil, é alimentado pela própria deputada com comentários sobre a rotina da campanha, respostas às críticas recebidas e ataques à gestão do prefeito Eduardo Paes.

Mas se o perfil de Rodrigo tem mais seguidores no Twitter, a página de Clarissa no Facebook tem mais fãs, 9 mil, contra 7 mil do candidato à prefeitura. A coordenação da campanha de Rodrigo Maia esclarece que os perfis do candidato, além de conter informações sobre sua agenda e suas propostas, também replica queixas de internautas relativos a tópicos como trânsito, precariedade da saúde e da limpeza urbana.

Com pouco mais de seis mil seguidores, a campanha de Otavio Leite é a lanterninha entre os quatro principais candidatos. Porém, o Facebook do candidato, é sua principal ferramenta de campanha na web, contando com 18.877 fans, mais que os dos candidatos Eduardo Paes (17.690) e Rodrigo Maia (7.187 fans).

O time do tucano conta com oito colaboradores fixos, formado por profissionais de diversas áreas, como educação e informática. Além da produção da equipe oficial, eles também apostam no apoio de eleitores para multiplicar o poder de ação.

— Temos muitos militantes deficientes físicos, por exemplo, que têm mais dificuldade de fazer campanha nas ruas, mas se identificam com o trabalho do Otavio Leite e apóiam de casa — explica Roberto Oliveira, coordenador de redes sociais da campanha.