Seu browser não suporta JavaScript!

12/07/2012 | Jornal O Dia

Candidatos a prefeito do Rio aprontam seus jingles de campanha misturando ritmos

Por Fabiana Sobral

Rio - De olho na máxima de que a voz do povo é a voz de Deus, os principais candidatos à Prefeitura do Rio já estão a cata do coro popular. Em ritmo de funk, samba, samba-rock, ou misturando todos, os jingles das campanhas começam a ecoar.

Produções de quilates variados, cenários bacaninhas, auxílios luxuosos de estrelas, como Caetano Veloso e Diogo Nogueira, letras trabalhadas em cima de plataformas políticas... Os jingles se transformaram em peças fortes das campanhas. Afinal, nada como uma música que fique ‘agarrada’ feito chiclete na cabeça do eleitor. Sem contar os clipes.

O jingle de Eduardo Paes (PMDB), gravado na Estudantina Musical, defendido por Preto Joia e composto por André Epinghaus e Nani Dias, passeia por vários ritmos e tem a participação de Diogo Nogueira, Bochecha, Sorriso Maroto, Velha Guarda da Portela, Dudu Nobre, Naldo, entre outros, tudo junto e misturado, como pedem.

Caetano Veloso solta a voz no jingle de Marcelo Freixo (PSOL). O compositor baiano, aliás, assina o jingle, que une funk e rap, com Breno Goes e Gustavo Ley.

Já Rodrigo Maia (DEM), aposta no samba de Fabiano Ribeiro, João Andrade, Marquinhos Sócio — também cantor. E Otavio Leite (PSDB) conta com a dupla Leo Vox e Mano Ra na defesa de seu samba-rock. Aspásia Camargo (PV) ainda prepara o seu.