Seu browser não suporta JavaScript!

19/08/2012 | Jornal O Globo

Candidatos no Rio mostrarão estratégias diferentes na TV

RIO - A oposição ao prefeito Eduardo Paes (PMDB) aposta todas as fichas no programa eleitoral gratuito, que começa nesta terça-feira no rádio e na televisão, para virar o jogo e tentar reduzir o favoritismo de Paes apontado nas pesquisas. No cabo de força da TV, o prefeito leva grande vantagem com 16m17s para defender a sua gestão. Já Marcelo Freixo (PSOL), Rodrigo Maia (DEM), Otavio Leite (PSDB) e Aspásia Camargo (PV), somados, terão apenas 9m57s para convencer o eleitor sobre suas propostas. Enquanto Eduardo Paes se apresentará como o prefeito que fez o “renascimento” do Rio, os opositores tentam estratégias diferentes na busca do voto.

Segundo colocado no pleito, o candidato Marcelo Freixo vai utilizar a popularidade do filme “Tropa de Elite 2” para romper a imagem de político da Zona Sul. Rodrigo Maia prepara as armas para atacar o que chama de pontos fracos da atual gestão. Rodrigo será o único candidato que dará destaque à participação de seu vice na chapa: Clarissa Garotinho (PR) dividirá cena com ele.

Aspásia Camargo vai se apropriar da história da legenda e exibirá cenas de campanhas eleitorais ao lado de Marina Silva e Fernando Gabeira. E o tucano Otavio Leite vai contar com a participação dos principais caciques do partido, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o senador mineiro Aécio Neves.

Para o professor do departamento de Ciências Sociais da PUC-Rio Ricardo Ismael, a campanha na TV é decisiva para os rumos do processo eleitoral:

— É na campanha na TV que os candidatos poderão se mostrar e tentar reverter o quadro político, mesmo quem tem pouco tempo.

Cem profissionais para TV

Líder nas pesquisas e com a maior previsão de gastos na campanha, Paes tem cerca de cem profissionais para cuidar da TV. Quem comanda a estratégia é o coordenador de comunicação Renato Pereira, que contratou três diretores para formatar a campanha. Para ele, o principal desafio será manter a atenção do telespectador:

— Tivemos que fugir do programa tradicional. Vamos defender este momento do Rio, por meio de quem mais importa: o carioca. A estrela do programa será o morador do Rio e sua história. Os investimentos e avanços que o prefeito conquistou estarão inseridos neste contexto.

O enredo será o lema da campanha Somos o Rio e vai defender a ideia de que foi Paes que resgatou o Rio.

Freixo viu no cinema a chance de aumentar se apresentar, principalmente, para o eleitor nas zonas Norte e Oeste. O programa vai mostrar que o personagem do deputado Diogo Fraga, que denuncia as milícias no “Tropa de Elite 2”, foi inspirado nele.

— A ideia é não criar personagem e nem manipular. Somente mostrar quem é o Marcelo. Um político que tem uma história de defesa das questões sociais, dos direitos humanos e do combate à corrupção — disse o cineasta Victor Lopes, que encabeça uma equipe de cerca de 20 pessoas.

Se de um lado a guerra à milícia pode trazer popularidade a Freixo, por outro o candidato vive um dilema. A coordenação da campanha avaliou que era necessário “humanizar” Marcelo Freixo e o convenceu a gravar com sua família.

— Mas a decisão de exibir ou não é dele — explica Lopes.

Estacionado na terceira colocação nas duas pesquisas eleitorais divulgadas pelo Ibope, com 5%, o deputado federal Rodrigo Maia buscou na ex-equipe de TV da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) a solução para comandar as gravações: o diretor de criação Fabiano Ribeiro.

O programa será aberto com a história de Rodrigo Maia e sua carreira parlamentar. A ideia é mostrar que o candidato tem luz própria, constantemente ofuscada pela figura do pai, o ex-prefeito Cesar Maia. O diretor define como um programa de oposição, mas propositivo:

— O eleitor vai ver que Rodrigo está preparado e pronto para ser prefeito — afirma Ribeiro.

A campanha contratou uma pesquisa do Instituto GPP — usado por Maia — que tem histórico de consultas para os Maia — onde mostra claramente a formulação do ataque. Ele tenta vincular a imagem do candidato como um candidato dos “ricos” e que não olha os pobres.

Imagens com Gabeira e Marina

Responsável pelo programa de TV de Aspásia Camargo, o diretor de cinema e teatro Moacyr Góes vai apresentar a verde como a mulher que defende o meio ambiente e que tem experiência administrativa. Moacyr Góes utilizará imagens de arquivo da candidata ao lado de nomes como Marina Silva e o ex-deputado, Fernando Gabeira. Ambos não declararam apoio.

Otavio Leite será apresentado aos eleitores como um candidato com experiência no Legislativo e no Executivo. De acordo com o produtor de TV, Julio Uchôa, o candidato será apresentado como um político ficha-limpa e que tem o apoio de lideranças do PSDB.

— Vamos mostrar o Otavio como um candidato real, com depoimentos de pessoas que testemunharam a trajetória dele. Um político ético, que tem uma história de 20 anos no Rio. Não queremos competir com candidatos que tem o apoio dos famosos — afirma Uchôa, que produziu a série “As cariocas” para a TV Globo.