Seu browser não suporta JavaScript!

11/08/2005 | Jornal O Globo

Casa, comida e roupa lavada para visitantes

A menos de dois anos do Pan, a prefeitura se preocupa não só com as obras, mas também com a hospedagem de turistas durante os jogos. Prova disso é que o vice-prefeito Otavio Leite promove, em parceria com o Co-Rio, o programa “Bed and breakfast” (cama e café da manhã), que prevê o alojamento de visitantes nas casas de cariocas mediante pagamento de diárias.

O aposentado Diamantino Soares é um dos interessados em participar da iniciativa. Ele vai oferecer cinco quartos para os turistas em sua casa em Jacarepaguá.

Programa pode aumentar a renda familiar

Apesar de os parâmetros do projeto ainda não estarem definidos, Otavio Leite adianta que o valor das diárias deve ficar na faixa de US$ 50, com direito a cama, banheiro e café da manhã. Mas dependendo do nível de conforto da acomodação e dos serviços extras oferecidos, o valor pode aumentar. Em breve será publicada uma tabela com sugestões de preços das diárias.

— Por enquanto estamos preocupados em fechar uma parceria com o governo federal para criar um portal de internet por onde acontecerá o cadastramento e o cruzamento de informações entre anfitriões e visitantes — diz Leite.

Mesmo antes da abertura do pré-cadastramento, que deve acontecer até o fim do ano, centenas de pessoas já procuraram a prefeitura em busca de informações. Ainda de acordo com Otavio Leite, uma das razões do sucesso do projeto é a possibilidade de aumentar o orçamento doméstico.

— O programa é interessante porque promove um intercâmbio cultural e ainda oferece aos hospedeiros a possibilidade de aumentar a renda familiar — elogia a empresária Márcia Gonçalves.

Moradora de uma cobertura do Jardim Oceânico, na Barra, ela pretende oferecer aos visitantes um quarto de hóspedes com duas camas, armários e banheiro exclusivo.

— A minha casa fica perto de shoppings e áreas de entretenimento. Tenho preferência por visitantes jovens porque quero que meus filhos se sintam à vontade — diz ela, referindo-se a Marcos, de 11 anos, e Michele, de 16.

De acordo com a prefeitura, as casas serão vistoriadas e os selecionados receberão treinamento especial para recepcionar os visitantes. A prioridade será escolher casas em bairros próximos aos locais de competição, como Barra, Recreio e Jacarepaguá.

— Apesar da previsão de inauguração de mais três mil quartos até o Pan, a capacidade hoteleira atual do Rio é de 27 mil quartos, o que não suporta a demanda de visitantes para os jogos, que chegará a mais de um milhão de pessoas — diz Alfredo Lopes, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ).