Seu browser não suporta JavaScript!

19/05/2016 | ESPN.com.br

CBF vai tentar adiar Profut para 2017; Mas para a Paraíba, entidade já cobra a lei

Por Gabriela Moreira

A CBF vai sustentar que as exigências do Profut passem a valer somente para o ano que vem. Esta é a estratégia da entidade para evitar a judicialização do campeonato e possibilidade de anulação da competição em vigor. Em resposta ao Blog, a entidade afirmou que não recebeu o parecer em que o corpo jurídico do Ministério do Esporte afirma que a lei já deveria ser cumprida este ano revelado pelo Blog nesta quarta-feira.

Segundo a CBF, mesmo tendo consultado o órgão formalmente em fevereiro, antes do parecer, o Conselho Nacional do Esporte decidiu em reunião que para este ano somente as federações que mudaram seus regulamentos poderiam exigir a documentação. Até agora, somente a Federação do Ceará fez a alteração incluindo o que pede a lei.

No entanto, documento revelado pela imprensa da Paraíba (abaixo), indica que em janeiro a CBF determinara a todas as federações que passassem a exigir os documentos. A informação foi compartilhada pelo repórter Maurílio Júnior, do Portal MaisPB.

Segundo o ofício enviado pela Federação da Paraíba aos clubes, a medida atendia determinação do secretário-executivo da CBF, Walter Feldman, e do diretor financeiro, Rogério Caboclo.

Documento mostra determinação da CBF à Federação da Paraíba

A exigência, no entanto, só foi aplicada pela Federação do Ceará, que incluiu a questão em seu regulamento. O paraibano acabou suspenso porque um dos times, o Campinense, não apresentou as certidões. A ação que suspendeu foi movida pelo Treze, clube que apresentou os documentos. O caso será julgado nesta quinta-feira no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

O autor do projeto de lei que originou o Profut, deputado Otavio Leite, vê com preocupação a questão:

"Precisamos analisar com calma, mas se for necessário acionar Ministério Público e os órgãos fiscalizadores, faremos. O Profut é uma lei que veio para ficar, já é realidade para os clubes e suas regras precisam ser cumpridas", disse.

*Nota: a notícia foi corrigida pois informava que a Federação da Paraíba mudou o seu regulamento para exigir as certidões. A entidade que fez a alteração foi a Federação do Ceará e não a da Paraíba.