Seu browser não suporta JavaScript!

10/07/2004 | Jornal do Commercio

Cesar acusa adversários de camuflar patrimônio

O prefeito do Rio e candidato à reeleição, Cesar Maia (PFL), acusou adversários de esvaziarem suas declarações de patrimônio usando o artifício de transferir bens de sua propriedade para filhos, mulheres ou amigos.

Dos candidatos à prefeitura, Maia tem o segundo maior patrimônio declarado, de R$ 1.703.572,03. Para o prefeito, os candidatos estão sendo “cínicos e enganando a boa-fé do eleitorado” ao camuflarem seus patrimônios. Seu principal alvo foi o ex-prefeito e vice-governador, Luiz Paulo Conde (PMDB). O candidato do PL, senador Marcelo Crivella, também foi mencionado nas acusações do pefelista.

Em entrevista à imprensa, no Palácio da Cidade, concedida ao lado do seu candidato a vice-prefeito, deputado Otavio Leite, do PSDB, Cesar Maia justificou o patrimônio apresentado à Justiça Eleitoral em relação à última eleição disputada. Explicou que o salário que recebe como prefeito, de R$ 6,8 mil, é alto, já que não tem despesa de moradia, o que lhe permite alugar os imóveis de sua propriedade. Por conta disso, aplica 70% do vencimento no mercado financeiro.

Cesar fez crítica velada ao segundo colocado na pesquisa do Ibope, o senador Marcelo Crivella (PL), cuja declaração mostra uma queda patrimonial de 83,9% Da lista de candidatos, o senador foi o que mais empobreceu. Em 2002, quando disputou vaga no Senado, Crivella declarou ter patrimônio de R$ 135,5 mil e agora, de R$ 21,8 mil. Documento do Ministério das Comunicações apresentado por Cesar Maia mostra que o bispo e senador Crivella é sócio da TV Record e diretor e sócio da TV Cabralia.

Cesar Maia condenou os políticos que transferem para os nomes de parentes o seu patrimônio. Em outra listagem, exibida pelo prefeito, estão relacionadas 13 empresas, a maioria em nome de familiares do candidato do PMDB, Luiz Paulo Conde.

– Esta eleição exige muito cuidado para que os políticos não sejam cínicos porque está todo mundo ocultando patrimônio. O político tem obrigação de dar transparência a sua vida pública. O meu patrimônio, por exemplo, está todo em meu nome, até mesmo o apartamento onde minha filha mora há muitos anos – destaca Cesar Maia.

Crivella não quis comentar a queda no seu patrimônio

O senador Crivella não quis comentar sobre a queda de 83,9% no patrimônio desde 2002. Sobre as ações de filiadas da TV Record em Franca (SP) e Itabuna (BA), justificou que realmente tinha tais ações, mas há dez anos, e que o Ministério das Comunicações não atualizou os dados.

Crivella, Jandira Feghali (PCdoB), Conde, Jorge Bittar (PT) e Nilo Batista (PDT) participaram ontem do seminário Favela é Cidade, no auditório da Caixa Econômica Federal (Caixa), no Centro. Pela manhã, o candidato do PL esteve com eleitores no calçadão de Campo Grande. Conde suspendeu a agenda no mesmo bairro devido ao mau tempo. Também por causa da chuva, Crivella cancelou a ida a Inhoaíba, na Zona Oeste.

Luiz Paulo Conde divulgou nota oficial em que classifica de “leviandades do prefeito Cesar Maia”, explicando que todo seu patrimônio está contido na declaração remetida ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e desafiando o prefeito a provar as “irresponsáveis acusações”. Na nota, Conde acrescenta que “quem deve explicar o fabuloso patrimônio é Cesar Maia, que há mais de 20 anos só vem exercendo funções públicas”.

O candidato ainda se diz satisfeito de, com apenas três dias de campanha, estar sendo alvo do “desequilíbrio” do prefeito. “Ele sabe que estamos crescendo e que vamos vencer as eleições. De agora em diante os cariocas têm que se preparar para ver Cesar Maia reassumir a sua verdadeira e condenável natureza”, finaliza a nota.

prefeito tem metodologia para democratizar governo

Descrente da pesquisa do Ibope, Cesar Maia acredita que seu percentual de intenção de votos se mantenha em cerca de 40%. De qualquer forma, encara com serenidade uma possível disputa com o senador Crivella.

– Tenho um eleitorado mais espalhado que os outros candidatos e até agora todos criticaram mas nenhum se mostrou ser alternativa à minha candidatura, já que não apresentaram propostas, que é o que o eleitor quer ver – afirma.

Na avaliação de Cesar Maia, Conde tem “vetor populista e não é capaz de conquistar autonomia com a própria figura, por isso, logo no primeiro dia de campanha na rua anunciou que reduzirá a passagem de ônibus a R$ 1”, indo a reboque da política do Governo do Estado do restaurante e da farmácia populares.

Às críticas feitas pelos adversários, de que o atual prefeito não vai para as ruas em campanha, adotando uma estratégia, segundo eles, de cansar os demais candidatos até o segundo turno, Cesar Maia é irônico.

– Eles estão há uma semana nas ruas e eu, há dez anos. Portanto, não preciso acelerar nada – rebate.

O prefeito Cesar Maia, acompanhado do seu candidato a vice, apresentou ontem a metodologia adotada para democratizar o programa de Governo. Trata-se do Programa de Governo nas Ruas (PGR), que colhe sugestões de eleitores através de questionários preenchidos nas ruas; o Programa de Governo na Internet (PGI), em que o eleitor também colabora pelo site www.cesarmaia.com.br; e as Propostas dos Partidos Coligados (PPC).