Seu browser não suporta JavaScript!

15/10/2006 | Jornal Extra

Cesar elege sua própria bancada

Prefeito terá seis aliados na Alerj e cinco em Brasília

O prefeito Cesar Maia saiu das urnas como um dos grandes vencedores das eleições de 1º de outubro. A aposta em retirar o nome do deputado estadual Eider Dantas, do seu PFL, da disputa para o governo em prol de Denise Frossard (PPS) se mostrou acertada. A candidata disputa agora o segundo turno com Sergio Cabral. Além disso, Cesar elegeu a sua própria bancada, com cinco auxiliares na Câmara dos Deputados e outros seis aliados na Assembléia Legislativa do Rio (Alerj).

Em Brasília, o grupo de Cesar inclui parte de seu secretariado. Além de Solange Amaral, ex-secretária de Habitação, foram eleitos Antônio Pedro Índio da Costa e Arolde de Oliveira, que ocuparam as pastas de Administração e Transportes. Seu filho, Rodrigo Maia, líder do PFL, conseguiu mais um mandato. E essa bancada pode ser reforçada pelo vice-prefeito Otavio Leite (PSDB), que obteve uma cadeira na Câmara dos Deputados.

Na Alerj, Cesar emplacou Pedro Fernandes Neto, Márcio Panisset, Cláudio Cavalcanti, João Pedro Figueira, Marcelino D’Almeida e Rodrigo Dantas. Dessa turma, Pedro foi seu subprefeito de Irajá. O rapaz, aliás, se espelhou na própria família. Ele é neto de Pedro Fernandes, deputado recordista de mandatos na Assembléia, com dez consecutivos, e filho de Rosa Fernandes (PFL), a vereadora mais votada do Brasil.

Outros dois aliados também têm a política no DNA: Márcio Panisset, irmão da prefeita de São Gonçalo, Aparecida Panisset, eleita há dois anos com o apoio de Cesar Maia; e Rodrigo Dantas, que ocupa a vaga do pai, Eider, candidato a vice-governador. Rodrigo foi subprefeito da Zona Oeste. Já o ator Cláudio Cavalcanti foi secretário de Defesa dos Animais e João Pedro, de Governo. Fechando o grupo, Marcelino é vereador pela Câmara do Rio.

À ESPERA DE ALIANÇAS

O PFL tem ainda outro deputado estadual, Natalino, mas que não é ligado ao grupo de Cesar Maia. E esperando por uma cadeira na Alerj está Alexandre Cerruti, seu secretário de Terceira Idade, que teria um lugar na Casa se algum colega for chamado para o governo municipal.

— Essa bancada certamente nos beneficia porque teremos uma ação coletiva. Espero que os demais (Otavio Leite e Natalino) também se juntem ao grupo no futuro. Cerruti dependerá de convites para deputados eleitos ocuparem cargos no governo, o que só pode ocorrer com aqueles de mais de um mandato — disse Cesar.

Antes da largada para a disputa eleitoral, Cesar Maia ensaiou algumas jogadas. Primeiro, lançou-se como pré-candidato a governador e a presidente, desistindo em seguida. Depois, inflou sem sucesso o nome de sua secretária de Habitação, Solange Amaral, para o governo. A última experiência foi com Eider Dantas, seu secretário de Obras. Ele não decolou nas pesquisas e, em maio, foi selada a aliança com o PPS, cabendo-lhe a candidatura a vice.