Seu browser não suporta JavaScript!

09/10/2003 | Jornal O Globo

Cesar Maia e Brizola negociam aliança de PFL com PDT ‘contra aventureiros’

Reunidos anteontem à noite, o prefeito Cesar Maia (PFL) e o presidente nacional do PDT, Leonel Brizola, avançaram na negociação que poderá resultar numa aliança entre pefelistas e pedetistas na sucessão municipal. Cesar, que disputará a reeleição e tem o apoio do PTB, propôs que o PDT indique já o secretário municipal do Trabalho e Renda.

Dois nomes foram citados durante a conversa na casa de Brizola, segundo membros da cúpula do PFL do Rio: o do presidente regional do PDT, Carlos Lupi, e o de Vera Malaguti, mulher do ex-governador Nilo Batista e integrante do conselho de ética do PDT.

Embora evite citar os cargos oferecidos, Cesar confirmou que abriu as portas da administração municipal para o PDT e que aguarda para breve uma resposta de Brizola.

— Nossa vontade é integrar o PDT e o PTB na campanha do ano que vem. Brizola disse que reunirá o conselho político do partido para analisar a proposta — contou Cesar, que se declara otimista e calcula em 90% as chances de o PDT fechar a aliança.

Brizola: aliança para combater aventureiros

O encontro de anteontem foi o segundo entre Cesar e Brizola este ano. Ex-pedetista, Cesar foi secretário de Fazenda no primeiro governo Brizola (1983-86) e um dos mais próximos colaboradores do presidente do PDT. Mas os dois se distanciaram politicamente. Cesar deixou o partido e foi para o PMDB, sigla pela qual se elegeu prefeito em 1992. Depois, filiou-se ao PFL, para onde regressou após passar pelo PTB.

Em Curitiba, onde foi ao velório do deputado José Carlos Martinez, Brizola confirmou as negociações.

— Podemos apoiar, sim, não o candidato do PFL, mas o senhor Cesar Maia. Ontem (anteontem) chegamos à conclusão de que precisamos continuar conversando e nos mantermos unidos para evitar os aventureiros — disse Brizola,.

Nessa categoria, Brizola incluiu o ex-prefeito de Curitiba Jaime Lerner, que também já foi do PDT. No mês passado, Lerner saiu do PFL, filiou-se ao PSB carioca e disse estar disposto a disputar a Prefeitura do Rio. Segundo Brizola, o termo aventureiro é muito brando para se referir a outro ex-aliado, o secretário de Segurança Anthony Garotinho (PMDB).

— São um mau exemplo para as futuras gerações as práticas políticas adotadas por este senhor — disse Brizola.

Já o presidente regional do PDT, Carlos Lupi, negou que no encontro com Cesar tenha sido discutida a nomeação de pedetistas para cargos na prefeitura. Mas afirmou que o PDT tem interesse em incluir nessas conversas alianças com o PFL em cidades onde o PDT tem candidaturas fortes, como Niterói, Caxias e Campos.

Marcello: Denise Frossard será a candidata do PSDB

Em outra frente, o presidente regional do PSDB, Marcello Alencar, afirmou ontem que é um entusiasta da candidatura própria e disse que a deputada federal tucana Denise Frossard deverá disputar a sucessão de Cesar.

— O nome dela tem densidade eleitoral. Foram 400 mil votos na última eleição — disse Marcello. Na reunião da cúpula tucana realizada segunda-feira, foram lançados os nomes de Denise e do deputado estadual Otavio Leite. Ontem, ao saber das declarações de Marcello, Leite disse que mantém sua pré-candidatura.

— Não quero conflito, mas a democracia interna tem que prevalecer — disse Leite.