Seu browser não suporta JavaScript!

20/02/2013 | Jornal Estado de São Paulo online

Chegada de Yoani Sánchez ao Congresso tem tumulto e bate-boca

Por Guilherme Russo

BRASÍLIA - A chegada da blogueira dissidente cubana e colunista do Estado, Yoani Sánchez, ao Congresso Nacional, em Brasília, no começo da tarde desta quarta-feira, 20, foi marcada por tumulto. Recebida por uma multidão de jornalistas, parlamentares e assessores, a blogueira foi levada ao plenário da Câmara dos Deputados.

Alguns parlamentares a aplaudiram e outros protestaram contra a interrupção da votação de uma medida provisória que estava ocorrendo no momento. Hove bate-boca entre os parlamentares. Ela chegou a subir no palanque, mas não falou aos presentes. Logo em seguida, a comitiva da blogueira deixou o plenário e seguiu para a sala dos trabalhos da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional.

Do lado de fora, manifestantes de movimentos sociais protestavam contra a presença da cubana. Chegando na sala da comissão, Yoani foi aplaudida de pé por cerca de metade dos presentes - entre eles estava o senador Eduardo Suplicy, que integrou a mesa da comissão.

Um trecho do documentário Conexão Cuba-Honduras foi exibido para cerca de 200 pessoas e o diretor, Dado Galvão - sempre de pé, sem se sentar na mesa da comissão - explicou que o filme foi realizado com "RS 600 no bolso e uma câmera emprestada."

Em seguida, Yoani voltou a falar da "falta de liberdade em Cuba", contou ao público a história de seu blog, criado em 2007, e criticou a "satanização pública" que diz sofrer das autoridades da ilha.

Durante o discurso, a blogueira voltou a elogiar o direito de manifestação no Brasil. "Levo do Brasil a recordação da pluralidade". A cubana encerrou sua fala dizendo que gostaria que os cubanos tivessem os mesmos direitos que os brasileiros.

Desembarque

Mais cedo, na chegada ao aeroporto da capital Brasília, Yoani foi recebida pelo deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ), integrante da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara. Leite foi o autor do convite feito a Yoani quando ainda estava na Bahia para comparecer à comissão, falar sobre sua viagem e comentar a reforma migratória cubana.

"Estou muito feliz, é uma grande oportunidade. É como se minha viagem começasse de novo agora", afirmou a blogueira ao chegar à cidade. O desembarque de Yoani em Brasília foi tranquilo, diferentemente do que aconteceu no Recife e em Salvador, onde houve protestos a favor do regime cubano organizados por militantes de pequenos grupos de esquerda. Com escolta policial, a cubana seguiu do aeroporto diretamente para o Congresso.

Chegando em frente ao Congresso, Yoani se admirou com a arquitetura dos edifícios. Ao sair da van, a blogueira foi questionada se estava com medo dos centenas de manifestantes na frente do Congresso. "Isso não me assusta. São meus colegas", respondeu a cubana.