Seu browser não suporta JavaScript!

01/08/2012 | Portal da Câmara dos Deputados

'Chegamos finalmente ao julgamento do mensalão'

CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 207.2.54.O Data: 01/08/2012 Hora: 18:12 Fase: GE

Sr.Otavio Leite (PSDB-RJ) - Sra. Presidenta, Srs. Deputados, eis que chegamos finalmente ao julgamento do mensalão. Lá se foram sete anos, nos quais o Congresso Nacional, através de uma Comissão Parlamentar de Inquérito... E depois o processo em si, já na instância do Supremo.

Todos os fatos foram apurados e todas as defesas foram apresentadas e finalmente a Procuradoria-Geral da República entendeu que, do conjunto das informações ali contidas, a Nação estava diante de um esquema de corrupção conhecido como mensalão, que se constituía numa sofisticada organização criminosa dividida em setores de atuação que se estruturou profissionalmente para a prática de crimes como peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, gestão fraudulenta, além de diversas formas de fraudes.

Nós sabemos que essa rede mafiosa se instalou no âmbito do poder supremo nacional, no Palácio do Planalto. E estamos todos ávidos por justiça. A democracia brasileira precisa de uma resposta fundamental para que ela prossiga a permitir que o povo ainda tenha esperanças na figura do homem público.

É preciso sepultar de uma vez por todas essa prática perversa, esse adesismo remunerado, esses apoios remunerados que se instituem em relação ao poder político que está no Executivo.

O mensalão ocorreu há 7 anos, mas nem por isso deixou-se de praticar inúmeros outros atos semelhantes a isso. Não fora no ano passado inúmeros ministros terem caído em função de desvios, de desmandos, de malfeitos e por aí vai.

A figura do homem público cada vez é mais depreciada na sociedade, é desvalorizada.

Eu quero dizer a este Congresso que, antes de ser deputado, eu sou pai, e quero ter o orgulho de um dia ouvir meus filhos falarem que são filhos de um homem público sem que o homem público seja associado à bandidagem, à corrupção. É preciso que nós nos reestruturemos na perspectiva de reorganizar a vida política no Brasil. E não é dado, nessa história, nessa quadra da nossa história, a nenhum homem público não ser transparente, não ter abertura completa da sua vida.

Que esse momento em que o Supremo precisa de todo o apoio do povo brasileiro possa lhe traduzir em luz, para que tenhamos o julgamento justo, e todos os bandidos sejam colocados na cadeia, para o bem da democracia brasileira e do futuro do País.

Foto: George Gianni