Seu browser não suporta JavaScript!

23/05/2014 | ESPN.com.br

Clubes e deputados pressionam Mantega para dar 'sim' ao parcelamento de dívidas

Por Camila Mattoso e Marcus Alves

Depois de reformular o Proforte em um novo projeto (Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte), clubes e deputados se mobilizam para ter uma posição do governo o mais rápido possível. No início dessa semana, eles foram a uma reunião em Brasília com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para mostrar o texto final que vai para aprovação no plenário da Câmara na próxima semana.

A preocupação é de que o substitutivo recém-elaborado agrade a Fazenda, já que prevê uma série de mudanças em cobrança de impostos, loterias e prazos de pagamento das dívidas dos clubes - valor ainda desconhecido em seu montante - e não seja barrado mais pra frente.

"Ontem (terça-feira), o presidente da Câmara, Henrique Alves, teve uma reunião com Mantega, para cuidar do projeto. Mantega pediu até terça-feira para a Fazenda se pronunciar. O que isso representa? É uma conversa da base do governo, quase um papo com os russos para ver como fica. A verdade é que a Fazenda é o freio ABS em tudo", afirmou o deputado Otavio Leite, relator do novo projeto, para o ESPN.com.br.

"Fomos conversar para envolver o governo no projeto. Até agora a gente estava no Congresso. O Ministério da Fazenda é a parte técnica do governo e vai analisar isso no refinanciamento das dívidas. Se a gente tiver uma boa resposta dele, a chance da presidente (Dilma Rousseff) não assinar a lei é muito pequena. Agora vamos esperar", complementou Vilson Ribeiro, presidente do Coritiba, representante dos clubes no debate.

O objetivo dos envolvidos na elaboração do projeto é de que a lei seja implementada o mais rápido possível, até mesmo antes da Copa do Mundo. A aprovação do substitutivo é vista como a salvação dos clubes, especialmente agora que muitos estão buscando desesperadamente um pouco de oxigênio para continuar respirando.

"Se a Fazenda quiser uma contra-proposta, por exemplo, tem de caber no projeto. E isso tem de ser discutido antes de chegar lá na frente. O ponto principal é o juros de longo prazo para o refinanciamento das dívidas. Se a taxa que colocamos não for a escolhida pelo governo, as parcelas aumentariam em 30% para os clubes", explicou Otavio Leite.

"Vamos esperar a resposta e o projeto deve ir para o plenário na quarta-feira que vem. Ficamos na dependência desse desfecho na Fazenda", finalizou.

Vale lembrar o caminho que o projeto tem daqui pra frente: na semana que vem deve ser votado no plenário da Câmara, depois vai para o Senado e, por último, para as mãos da presidente