Seu browser não suporta JavaScript!

16/04/2009 | Jornal O Globo

Clubes obtém vitória em Comissão da Câmara

Segundo deputado, COB recebeu R$ 247 milhões da Lei Agnelo/Piva de 2006 a 2008.

Na luta para manter recursos da Lei Agnelo/Piva (Lei 10.264/01), que lhe destina 2% da arrecadação das loterias, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) foi derrotado ontem na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, que estuda a Lei Pelé (Lei 9.615/98), fundamentação do esporte no país.

Por unanimidade, a comissão aprovou relatório do deputado José Rocha (PR-BA) sobre o projeto de lei 5.186/05, do Executivo, que altera as regulamentações das Leis Pelé e Agnelo/ Piva. O deputado Otavio Leite (PSDB/RJ) propôs que também recebam recursos da Lei Agnelo/Piva: Pinheiros, Minas, Sogipa, Náutico União, vasco, Fluminense, Flamengo e Corinthians, do Conselho de Clubes Formadores de Atletas Olímpicos (Confao). O tema será votado no plenário da Câmara.

Atualmente, 85% dos recursos da lei vão para o COB e 15% para o Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB). De acordo com o que Leite levantou junto à Caixa Econômica Federal, de 2006 a 2008 o COB recebeu R$ 247,5 milhões, e o CPB, R$ 44,5 milhões. Ano passado, o COB obteve R$ 93,8 milhões, e o CPB, R$ 16,8 milhões.