Seu browser não suporta JavaScript!

19/11/2009 | Jornal Folha de São Paulo

COB quer nova fonte de verba, à la Argentina

Em audiência pública na Câmara, o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, sugeriu que fosse feito projeto para dar um 1% do faturamento do setor de telefonia para o esporte.

Para levantar essa ideia, ele usa exemplo da Argentina, onde foi aprovado um programa neste sentido para usar verbas para o esporte. Isso destinará US$ 60 milhões ao setor, segundo o dirigente do comitê.

"Gostaria que pensassem nisso, para que, no futuro, não tenhamos orçamento para o esporte menor do que o de países vizinhos", disse Nuzman. Para ele, nações como Colômbia e Venezuela já rivalizam com o Brasil no volume de verbas esportivas.

Deputados da comissão concordaram que deve haver mais recursos para o esporte. Mas dizem ser difícil aprovar um novo imposto neste sentido. Será discutido em reuniões como pode aumentar o montante para o esporte.

"Precisamos encontrar, sim, fontes que permitam o financiamento do esporte olímpico brasileiro. Estamos defendendo que os clubes têm que participar do processo", afirmou o deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), membro da comissão.

Há também a ideia de aumento da fatia da loteria para o esporte olímpico, o que levaria dinheiro para os clubes.

Em seu lobby, Nuzman ainda realizou visitas às presidências da Câmara e do Senado para pedir apoio a projetos que aumentem os recursos para o esporte.

Com o presidente do COB, dirigentes de confederações e o ministro do Esporte, Orlando Silva Jr., reuniram-se por 20 minutos com José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado, e Michel Temer (PMDB-SP), da Câmara. Obtiveram apoio pelo menos nos discursos.

No momento, há um projeto de pedido de suplementação orçamentária do ministério no valor de R$ 300 milhões. Ainda está em discussão no Congresso o Orçamento para 2010.