Seu browser não suporta JavaScript!

03/12/2004 | Jornal do Commercio

Começou a corrida

Duas vezes prefeito da cidade e uma vez governador, o presidente regional do PSDB, Marcello Alencar, deu a carga de emoção à solenidade realizada ontem, no primeiro estágio do Pão de Açúcar, na qual o deputado e vice-prefeito eleito do Rio, Otavio Leite, entregou ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a medalha e o respectivo diploma Pedro Ernesto.

Dizendo-se vítima de uma doença insidiosa - sofreu um derrame cerebral -, Marcello Alencar desculpou-se por não estar na plenitude da sua capacidade de entreter a audiência com discursos inflamados. Nem por isso, porém, deixou de protagonizar o momento mais acalorado da solenidade, que teve no autor da homenagem, no próprio homenageado e no ex-senador Arthur da Távola três outros articulados oradores. Depois de dar testemunho das transformações realizadas no Brasil durante os oito anos de Governo FHC, disse o ex-governador:

- Estou na esperança do ressurgimento de V. Exa. no comando do País.

Os aplausos ruidosos, que interromperam o discurso de Alencar por alguns instantes, foram sintomáticos. Na platéia, a elite da sociedade econômica e política fluminense.

O PT já tem no próprio Lula o candidato natural à reeleição. O PFL largou na frente a pré-candidatura do prefeito reeleito do Rio, Cesar Maia. Do alto do Pão de Açúcar - ainda que FHC desdenhasse a proposta consensual do alto tucanato presente -, o PSDB entrou na pista com o seu principal piloto. Está dada a partida para a corrida da sucessão presidencial.

A PROPÓSITO

Consciente de que passou dos limites a insegurança gerada pela violência no Rio, FHC contou que, enquanto passava ontem pela Av. Niemeyer com a mulher, perto do Vidigal, o espetáculo da natureza o estimulou a uma observação:

- Olha, Ruth, que beleza! Não é possível que não se possa usufruir desta cidade em todo o seu esplendor.