Seu browser não suporta JavaScript!

20/11/2013 | Portal G1

Comissão convida ministro da Justiça para explicar fuga de Pizzolato

Por Nathalia Passarinho

A Comissão de Segurança Pública da Câmara aprovou nesta quarta-feira (20) convite para que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, preste esclarecimentos sobre a fuga para a Itália do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado no julgamento do mensalão a 12 anos e 7 meses de prisão. Para evitar o cumprimento da pena, Pizzolato, que tem cidadania italiana, deixou o Brasil de forma clandestina com destino à Itália.

O requerimento, de autoria do deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), previa a convocação de Cardozo – nessa hipótese, o ministro de Estado seria obrigado a comparecer. Mas, para viabilizar a aprovação do texto, um acordo entre os parlamentares da base aliada e da oposição transformou a convocação em convite. Com isso, o ministro poderá não comparecer.

Henrique Pizzolato é o único dos 12 condenados do processo do mensalão que tiveram os mandados de prisão expedidos não se apresentou à polícia. Ele foi condenado pelos crimes de formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro. O STF negou o último recurso possível e decidiu que, para o ex-diretor do BB, o processo do mensalão terminou.

Para Otavio Leite, a Polícia Federal falhou ao não evitar a fuga de Pizzolato. “O sucesso obtido por Henrique Pizzolato em sua empreitada de evadir-se do território nacional bem demonstra que a Polícia Federal não desempenhou a contento sua atribuição de policiar nossas fronteiras”, argumentou o tucano.

O deputado destacou que a PF é subordinada ao Ministério da Justiça e que, por isso, caberia a Cardozo prestar esclarecimentos.