Seu browser não suporta JavaScript!

17/12/2011 | Agência PSDB

Congresso da Juventude da Social Democracia debate experiências regionais

No segundo dia, congresso debate experiências regionais

Goiânia – Os participantes do Congresso da Juventude da Social Democracia iniciaram o segundo dia do encontro, neste sábado (17), com apresentações de caráter prático.

O secretário nacional de Juventude do PSDB, Wesley Goggi, afirmou que um dos principais pontos a serem ressaltados pelos participantes do evento é a defesa da meia-entrada para os jovens, independentemente de serem estudantes ou não. “Acreditamos que o sistema atual prejudica os jovens que trabalham, mas não estudam. Por que alguém de 50 anos que está na pós-graduação pode ser beneficiado com a meia-entrada e o jovem que apenas trabalha não?”, questionou. Ele também afirmou que o partido é contrário ao “monopólio da UNE” para a emissão das carteirinhas de estudante.

Opiniões

Lideranças de diferentes regiões do país falaram ao público e enfatizaram os desafios do dia a dia dos jovens que se dedicam à política.

O deputado federal e pré-candidato à prefeitura do Rio de Janeiro, Otavio Leite, fez questão de sair da capital fluminense no sábado para conversar com a Juventude do PSDB. Otavio Leite compartilhou experiências e projetos realizados no Rio e falou sobre questões importantes do estado, incluindo Segurança Pública, Educação e Saúde.

Roberto Tros, de Minas Gerais, explicou que a formalização de um estatuto nacional da juventude é condição chave para a definição das políticas públicas para o setor – ele, inclusive, acrescentou que é necessário que os gestores sejam precisos quanto ao conceito de política pública, que muitas vezes acaba não atingindo os objetivos.

Já Gustavo Dias, da juventude tucana do Distrito Federal, lembrou que é necessário que os jovens sejam contemplados em suas diferentes reivindicações – uma delas, ele citou, é o turismo. “Há quem pense que o turismo é uma coisa secundária, mas, além de gerar empregos, ele possibilita à pessoa conhecer melhor a história de sua cidade, de seu país. Fizemos uma pesquisa na periferia do Distrito Federal e verificamos que grande parte dos jovens não conheciam a Esplanada, a Catedral, o Congresso e outros monumentos de Brasília. Isso é inadmissível”, disse.

A paulista Mariana Montoro, neta do ex-governador de São Paulo Franco Montoro, declarou que, muitas vezes, o próprio jovem desconhece as políticas públicas que podem beneficiá-lo – e que, nestes casos, é preciso aprimorar a comunicação com esta fatia da população. “Em São Paulo, víamos jovens que recorriam a empréstimos em bancos privados porque não sabiam que o Banco do Povo poderia lhes dar crédito com juros muito mais compensadores. Portanto, é necessário melhorar a aproximação”, citou.

Kamyla Castro, do Ceará, afirmou que está “se aposentando” da rotina partidária da juventude – ela completou 33 anos. Mas enfatizou que, embora não pertença mais ao segmento dos jovens, continuará incentivando a realização da política por parte dos mais novos. “Minha experiência com a juventude deixa claro o quanto isso é importante, tanto para o estado quanto para o país”, disse.

Qualificação

Após a apresentação destes líderes, começou no congresso uma atividade que buscou qualificar os jovens pré-candidatos para as eleições de 2012, na qual serão eleitos prefeitos e vereadores em todo o país.

O professor André Régis, especialista em oratória, o publicitário Moriael Paiva, que atua em mídias sociais, e o também publicitário Eduardo Guedes, especialista em campanhas eleitorais, falaram ao público.

Paiva lembrou que o fortalecimento da internet não pode deixar em segundo plano as campanhas de rua. Para ele, a tecnologia “é um meio, e não um fim”, e não há projeto político que se sustente sem a existência de um conteúdo forte. É a mesma linha do raciocínio que Régis apresentou: “não existe discurso político adequado sem um bom conteúdo. E isso o PSDB tem”.

O publicitário Guedes acrescentou que o PSDB vive o melhor momento de sua história. Ele acredita que o partido soube aprender com os erros que cometeu em campanhas anteriores e, ao reunir uma militância atuante, mostra-se apto a triunfar nas próximas eleições.