Seu browser não suporta JavaScript!

03/04/2012 | Rádio Catedral

Contra a demolição do viaduto da Perimetral

Apresentado pelo professor Sérgio Pereira da Silva, o programa Vox Populi desta segunda-feira, dia 02 de Abril, contou com a participação do presidente da academia “Fé e Razão”, padre Aníbal Gil Lopes, da secretária executiva da academia, Maria Pia Guimarães, do médico e professor, Omar da Rosa Santos e do deputado federal Otavio Leite. O Vox Populi é o programa mais antigo da Rádio Catedral e vai ao ar de segunda à sexta, à partir das 18 horas.

O programa de hoje tratou sobre a demolição do viaduto da Perimetral, sobre o trânsito e a educação no Rio de Janeiro.

O deputado Otavio Leite começou o programa explicando a iluminação especial do Cristo Redentor no dia de hoje. O Cristo ficou iluminado de azul em prol da conscientização do mundo para o autismo. O deputado afirmou que atualmente se discuti a cura do autismo. Padre Aníbal falou sobre o autismo e sobre a superação das doenças no século XX , somado a abertura de novas perspectivas terapêuticas nesse início de século XXI.

Após ter visto no jornal O Globo que o deputado federal Otavio Leite é contra a demolição do viaduto da Perimetral, o professor Sérgio Pereira perguntou para o deputado se há possibilidades de impedir o prefeito Eduardo Paes de demolir o viaduto. Segundo o deputado essa possibilidade existe porque o prefeito não pode derrubar o que não lhe pertence. Levantando um histórico do viaduto da perimetral, o deputado descobriu que ele foi construído com recursos federais e executado pelo Estado da Guanabara. O elevado da perimetral não pertence ao município. O convênio mostra que cabe ao Estado apenas conservar e operar. Para o deputado, o túnel, que seria a solução técnica pós-demolição, não é uma saída melhor do que a que temos hoje. Segundo o deputado, na obra será gasto R$1,5 bilhões, o equivalente a três Cidades da Música: um custo muito alto para pouca eficiência. Sobre a parte estética, o deputado concorda que o viaduto deve sofrer mudanças. Segundo ele, isso se resolveria chamando um carnavalesco ou um arquiteto.

Um dos ouvintes perguntou para Otavio Leite a localização certa da Perimetral. O deputado respondeu que a perimetral tem 5,5km, começando na Avenida General Justos indo até o eixo da Avenida Brasil com a ponte Rio Niterói. A obra foi de 1974 e pertence à União.

Uma das ouvintes reclamou do trânsito no Rio. O deputado concordou e falou que é um dos problemas mais citados em todas as capitais do país. Para Otávio leite, a lógica do transporte brasileiro é muito ancorada na indústria automobilística, uma hora o sistema vai entrar em colapso. Padre Aníbal Gil Lopes concordou com o deputado e afirmou que quem vende carro, não vende rua. Para o padre, há um investimento muito precário nos meios de transporte. Ele cita dois exemplos: o fato de não existir nenhuma linha de trem ou metrô ligado aos aeroportos do Rio e o tempo gasto de ir da Barra ao Centro da cidade. Para o padre é impossível ficar pensando em estética quando não se tem o fundamental, que é o funcional.

O professor Sérgio comentou com a secretária Maria Pia Guimarães que o prefeito agora aconselhou a todos andarem de bicicleta. Maria Pia Guimarães falou que andava muito de bicicleta em cidade pequena. O professor Sérgio brincou que nem ele, nem Maria Pia têm mais condições de andar de bicicleta e que o jeito é continuarem andando de taxi.

Uma dos ouvintes perguntou qual a solução para educação, melhores salários para os professores ou sistema de cota. O deputado Otavio Leite falou que não há perspectivas de melhorar educação e a qualidade dos docentes se não se oferecer uma remuneração melhor do que hoje é a média nacional. Ele citou o senador Cristovão Buarque e o comparou com Darcy ribeiro. Hoje o senador aponta que não teremos uma perspectiva de melhor futuro se não investirmos na educação. Otavio Leite acrescentou que existe um binômio entre desenvolvimento econômico e educação, fazendo uma sociedade melhor e mais justa no futuro. Para o deputado a prioridade deve ser a educação infantil e pré-escolar. Sobre a política de cotas, Otavio Leite se pôs a favor, pois há uma dívida muito grande com a parcela negra da sociedade.

Foto: Gabriel de Paiva/ retirada do site do jornal Extra