Seu browser não suporta JavaScript!

27/08/2004 | Jornal do Brasil

Crivella recebe o apoio do vice-presidente

José Alencar veio ao Rio fortalecer a campanha do senador do PL

Depois de visitas ministeriais e presidencial em apoio aos candidatos do PT, Jorge Bittar, e do PCdoB, Jandira Feghali, ontem foi a vez de Marcelo Crivella (PL) tirar sua casquinha do poder, com o apoio de um figurão do governo federal. O senador recebeu ontem, no Rio, o vice-presidente da República, José Alencar.

- O meu número é 22, o mesmo número do senador Crivella - resumiu Alencar, em encontro com o colega de partido no 3º Comando da Aeronáutica, no Centro, onde se pôs à disposição do candidato para participar de gravações do programa eleitoral.

- Gravar, com o maior prazer. Venho ao Rio porque é a cidade de todos os brasileiros. E conhecemos bem esse nosso companheiro, senador Crivella - argumentou o vice-presidente, chamando a atenção para as qualidades pessoais do bispo da Igreja Universal, que é, segundo Alencar, ´´um chefe de família exemplar, homem de bem e pai extremoso´´.

O vice-presidente não garantiu, contudo, que participará de corpo-a-corpo:

- Não tenho como prometer participar de campanha, porque a demanda é do Brasil todo. Nem sempre há tempo.

Alencar assegurou que a aliança nacional do PL com o PT não cria constrangimentos, dentro do governo federal, para que participe da campanha de Crivella, adversário do petista Jorge Bittar (PT)..

- Aqui há um candidato do PT que também é excelente, Nós o conhecemos e temos o maior apreço por ele. Mas nosso candidato no Rio é nosso querido amigo, companheiro e grande brasileiro, que é o senador Crivella.

Durante a visita ao Rio, José Alencar não se omitiu em relação à denúncia que recai sobre o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, de envio de dinheiro para o exterior. Manteve o tom conciliador com o governo, que vem cobrando ´´responsabilidade´´ nas acusações e denúncias.

- Não sou contra as investigações. Sou contra tentar fazer qualquer coisa antes do caso encerrado. Do contrário, coloca o nome da pessoa numa situação de dificuldade perante sua própria família, e às vezes não tem nada conta aquela pessoa. No caso dele, específico, não posso dizer nada, porque não conheço. Espero que ele não tenha absolutamente nada, e que seja um homem honrado - declarou.

Hoje é a vez do candidato Cesar Maia (PFL) receber um apoio de peso do PSDB, partido de seu vice, Otavio Leite. O governador mineiro Aécio Neves, depois de ter declarado apoio ao candidato tucano na capital paulista, José Serra, chega ao Rio para fortalecer a campanha de Cesar.