Seu browser não suporta JavaScript!

10/12/2008 | PANROTAS

Cruzeiros marítmos: regulamentação não pode ser enfrentamento de setores

O secretário nacional de Políticas de Turismo do MTur, Airton Pereira, também participa da audiência pública sobre cruzeiros marítimos na Câmara dos Deputados. Ele foi breve em sua explanação a admitiu que realmente falta regulamentação. “A regulamentação não pode ser um enfrentamento entre os dois setores. Toda atividade precisa de regras, mas elas precisam atuar pelo equilíbrio”, afirmou.

Para a deputada Lídice da Mata, “não hã como entregar uma atividade na mão individual do mercado. É preciso que haja a mão reguladora. Quem pensava diferente, está revendo, especialmente com essa crise”. Segundo ela, os dois setores, hotéis e cruzeiros, devem ganhar, porém quem mais precisa lucrar é o turismo e o desenvolvimento dos destinos.

Já o deputado Otavio Leite reafirmou a necessidade de que as companhias internacionais de cruzeiros atuem para captar os turistas estrangeiros, ampliando mercado. “Hoje, apenas 10% do total de passageiros são estrangeiros”, afirmou, lembrando que a situação do Brasil hoje ainda é bem diferente do Caribe, por exemplo. "Esses turistas podem vir de avião, usar hotéis e embarcar nos cruzeiros, como é feito naquele destino", concluiu.