Seu browser não suporta JavaScript!

28/04/2004 | Jornal do Brasil

Denise Frossard deixa a eleição

Em decisão surpreendente e falando em falta de ética na política, a deputada federal Denise Frossard renunciou ontem à candidatura à Prefeitura do Rio pelo PSDB, sob a alegação de que o presidente estadual do partido, Marcello Alencar, teria se encontrado no último fim de semana com o prefeito Cesar Maia com o objetivo de implodir sua candidatura e apoiar o pefelista, líder nas pesquisas.

Desde que seu assessor Jackson Vasconcellos foi levado ao conselho de ética do partido, por críticas a Otavio Leite, as relações da deputada com Alencar estão deterioradas.

O ex-governador Marcello Alencar nega que tenha se encontrado com o prefeito no fim de semana, e garante que não participaria dessa trama:

- Não sou leviano. Como destituiria alguém sem falar com a maior interessada? Ela se posiciona como vítima - afirma Alencar, que não descarta nenhuma hipótese, seja tentar demover a juíza de sua decisão, lançar novo candidato, ou fechar aliança com o prefeito.

Denise distribuiu ontem à tarde extensa carta em que explica por que sai do páreo. Sem sequer citar o nome de Alencar, diz que deixa a disputa ´´porque é vontade, finalmente manifestada publicamente, do senhor presidente regional do PSDB´´.

Em outro trecho da carta, demonstra surpresa:

- Confesso que me surpreendi com a decisão do senhor presidente regional do PSDB de vir a público, antes de vir a mim, para dizer que mudou de opinião e de rumo e afirmar que, de agora por diante, será melhor para o partido compor uma aliança eleitoral que subscreva uma administração municipal ausente de um quadro que nos deixa a todos em condição de vítima potencial do crime.

Mais adiante, a deputada revela que havia sido alertada para o fato de que composições políticas poderiam afetar sua candidatura:

- Alguns mais versados na arte dos aconchegos políticos andaram a me afirmar, há tempos, que haveria o risco de eu ser surpreendida por uma mudança de rumos ou de humor. ´´Na política, é assim mesmo´´, me diziam.

A carta distribuída pela deputada termina pedindo ética e deixando claro que nem tudo foi dito ainda:

- Eu acredito na ética. Eu acredito na política como um valor ético, por mais que os tempos em que vivemos exijam coragem para se ter ética. É, por enquanto, o que tenho a dizer.

Alencar não crê que a deputada tenha sido leal com ele. Pede respeito por ter sustentado sua candidatura ´´até contra meus sentimentos´´.

Vice-presidente estadual do PSDB, Luiz Paulo Corrêa da Rocha é categórico quando diz que não existiu o encontro de Alencar com o prefeito, e garante que havia uma conversa marcada para quinta-feira entre o ex-governador e a candidata do partido. Alencar confirma a informação e diz que nessa data seriam traçadas as estratégias para a campanha.

Otavio Leite, candidato a vice na chapa tucana, se diz surpreendido e lamenta a decisão da deputada. Afirma que seu nome continua à disposição do partido, mas prega a unidade.

Eventual beneficiado com a desistência da candidatura tucana, Cesar Maia confirma a versão de Alencar ao dizer que não se encontrou com o ex-governador no fim de semana. Adverte, entretanto, que há um ano ´´se discutem apoios recíprocos pelo Brasil todo´´. O prefeito continua muito interessado em obter o apoio do PSDB à sua reeleição.

O presidente nacional do PFL, Jorge Bornhausen, diz que não passou pela direção nacional do partido qualquer acordo para que o PSDB apóie Cesar Maia, no Rio.

Interessado na aliança, pois pleiteia a vaga de vice na chapa do prefeito, o deputado Ronaldo Cezar Coelho preferiu não comentar a decisão de Denise Frossard.

Até o fim da noite de ontem a deputada não havia retornado as ligações do ex-governador Marcello Alencar e do JB.