Seu browser não suporta JavaScript!

12/01/2012 | Portal do PSDB na Câmara

Deputado afirma que falta de investimento e fiscalização precária contribuem para caos aéreo

Por Djan Moreno

Espera de treze horas, uma sequência de desinformação e descaso por parte das autoridades públicas demonstram o caos instalado nos aeroportos brasileiros. Essa é a avaliação do deputado César Colnago (ES), que cobra investimentos do governo federal e ação efetiva dos órgãos de fiscalização. A situação foi vivida por 300 passageiros que partiram do Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, com destino à Nova York, nos Estados Unidos.

Para o tucano, há um descaso constante da gestão do PT com os usuários do transporte aéreo. “Há uma estagnação do setor no sentido dos investimentos e ampliação dos serviços. A demanda aumentou muito, mas o Planalto não se planejou e, consequentemente, vivemos atualmente um caos”, apontou. Colnago lembra que o problema no Tom Jobim é só um entre vários enfrentados diariamente pelo consumidor.

Na visão do parlamentar, o problema está na falta de investimentos. “Isso é fundamental para que os aeroportos funcionem e os voos ocorram dentro de uma regularidade.” O cenário atual é preocupante, principalmente porque a nação se preparada para sediar a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Segundo ele, o país não é capaz sequer de atender à demanda interna.

Os passageiros que embarcariam às 23h05 da última terça-feira (10) só decolaram às 12h30 de ontem. Dormiram no saguão e relataram não ter recebido assistência legal da empresa TAM, como alimentação e hospedagem. Como mostra “O Globo”, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), responsável por fiscalizar os serviços, não tem nem sala no terminal.

Segundo a reportagem, os 30 mil usuários que passam pela unidade diariamente continuam submetidos ao suplício e ao festival de desmandos impostos pelas companhias aéreas, pela Anac e pela Infraero. Em meio aos desencontros, o cidadão enfrentou outra desagradável surpresa: nem mesmo lanchonetes estavam abertas.

Colnago acredita que a população não tem para quem reclamar. “Vai recorrer a quem? ao Papa? As agências estão esvaziadas e órgãos como a Infraero são de pouco acesso à sociedade. O transtorno é permanente em todo sistema”, criticou. A Infraero, que tem o dever de gerir os terminais, informou que irá investigar o motivo de os restaurantes não estarem funcionando durante a madrugada. Para piorar, o guichê do Tribunal de Justiça estava fora do ar.

Problemas se repetem

A gravidade da situação do aeroporto Tom Jobim tem sido alertada pelo deputado Otavio Leite (RJ). Dados do Siafi obtidos no ano passado pelo gabinete do tucano mostravam que, de 2008 até agosto de 2011, apenas 21% da dotação para compra de equipamentos e obras nos dois terminais de passageiros foram efetivamente usados. Na época, Leite afirmou que a atuação da Infraero era pífia. Problemas semelhantes também já haviam sido constatados pelo deputado no aeroporto Santos Dumont, também no Rio.

Foto: Beto Oliveira/Ag. Câmara