Seu browser não suporta JavaScript!

25/12/2011 | Jornal O Dia

Deputado critica ajuda da prefeitura para clubes

Prefeito vascaíno quer ficar bem na fita com torcidas

Por João Paulo Gondim

Rio - Em seu último ano de governo e prestes a encarar as urnas em busca da reeleição, o vascaíno Eduardo Paes quer ficar bem na fita com as torcidas dos quatro grandes times. “Sou de todos os clubes do Rio de Janeiro este ano”, brinca. E para alcançar esse objetivo, aguarda os dirigentes — três deles filiados ao PMDB — apresentarem os projetos dos Centros de Treinamento (CTs). As instalações serão usadas pelas seleções estrangeiras nas Copas das Confederações, em 2013, e do Mundo, em 2014.

“A prefeitura tem, sim, interesse em ajudar esses clubes e, numa conversa, a ordem de grandeza deu algo em torno de R$ 10 milhões (para cada clube, totalizando R$ 40 milhões), o que não necessariamente significa o aporte de R$ 10 milhões”, afirma Paes.

FUTEBOL-POLÍTICA

“Não há no Rio estrutura para tais eventos. A ajuda do poder público poderia resolver esse problema”, diz o presidente do Botafogo, Maurício Assumpção, que filiou-se ao PMDB por influência do amigo vice-governador, Luiz Fernando Pezão, botafoguense.

Deputado estadual desde 1995, Dinamite é o de carreira política mais longa. Ex-tucano, já estava no PMDB em 2002, quando se elegeu pela terceira vez. “A parceria com o governo é fundamental para o desenvolvimento do Rio. Além do atleta, formamos o cidadão”, defende.

Patrícia Amorim regressou ao PMBD em outubro, a tempo de candidatar-se à reeleição pela legenda que a elegeu vereadora em 2000. Nas duas eleições seguintes, foi eleita pelo PSDB.

Para o cientista político Geraldo Tadeu Monteiro, a relação futebol-política significa pragmatismo. “Os dirigentes esportivos se aproveitam para conseguir benefícios, e os políticos para faturar dividendos eleitorais.”

Deputado critica ajuda para clubes

O prefeito Eduardo Paes defende o investimento público na infraestrutura dos clubes com base numa contrapartida: a criação ou ampliação das escolinhas de futebol para jovens de comunidades carentes. “Sou contra governo entrar com dinheiro para comprar jogador. Agora, ajudar no centro de treinamento,que é trabalhar com a base, isso aí você qualifica a cidade para a Copa do Mundo, para a Olimpíada.”

Para o deputado federal Otavio Leite (PSDB), os clubes poderão faturar alto com talentos descobertos na escolinha, sem repassar o lucro à sociedade. Provável adversário de Paes nas urnas em 2012, Leite pondera que “essa quantia deveria ser investida na qualificação de professores de educação física da rede municipal de ensino.”

PMDB diz ter ‘seleção de craques’

O presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani considera a filiação dos dirigentes “prova de que o partido montou uma seleção de craques”. E completa o time com o ex-jogador do Vasco Valdir Bigode e o atacante do Bonsucesso Túlio Maravilha, ídolo do Botafogo na década de 1990 e ex-vereador em Goiânia.

Colaborou Rozane Monteiro