Seu browser não suporta JavaScript!

31/05/2011 | Jornal O Globo

Deputado vai pedir que TCU investigue Biblioteca Nacional

Alvo são compras superfaturadas denunciadas pelo GLOBO

As compras de produtos a preços superfaturadas por meio de pregões, que vinham sendo realizadas pela Fundação Biblioteca Nacional, podem dar início a uma investigação do Tribunal de Contas da União (TCU). A denúncia, feita pelo GLOBO anteontem, diz respeito a HDs, caixas de lápis de cor, assentos de privada e lâmpadas, entre outros itens, que foram adquiridos pela biblioteca a valores até dez vezes mais caros do que a média do mercado. Por isso, o deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ) vai dar entrada hoje no TCU com um pedido de inspeção para avaliar as licitações da FBN.

- A gente não pode sair vaticinando, mas os dados revelam muitas distorções de preços. Além disso, a explicação da biblioteca de que não apareceram outras empresas interessadas no pregão presencial é simplista. A rigor, cabe ao órgão licitante estimular o maior número possível de participantes numa disputa e não aceitar indícios de combinação entre empresas - diz Leite.

Entre outros produtos, a FBN pagou R$5 mil por HDs cujo preço sugerido pelo fabricante é de R$1.100. A reportagem também revelou que as duas primeiras edições da revista "O Tico-Tico", de 1905, foram furtadas da biblioteca em maio de 2010, mesmo após um investimento de R$1,7 milhão em segurança.