Seu browser não suporta JavaScript!

01/03/2007 | Site do PSDB Nacinal

Deputados cobram instalação da CPI do Apagão Aéreo

Pedido foi apresentado na noite de terça-feira

Brasília (1º de março) - O líder do PSDB na Câmara, Antonio Carlos Pannunzzio (SP), cobrou do presidente da Casa, Arlindo Chinaglia (PT-SP), agilidade na instalação da CPI do Apagão Aéreo. Acompanhado pelos deputados Otavio Leite (RJ) e Vanderlei Macris (SP), o tucano esteve no gabinete da Presidência na tarde desta quinta-feira.

A FAVOR DO PAÍS

Antes da reunião, o secretário-geral da Mesa, Mozart Viana, havia emitido parecer favorável ao pedido apresentado na noite da última terça-feira, já que o requerimento atende ao requisito constitucional de fato determinado necessário para a instalação de uma CPI.

´Além disso, a Secretaria da Mesa confirmou que 211 deputados assinaram o documento, quando eram necessários 171. Resta agora ao presidente Chinaglia encaminhar as lideranças dos partidos o pedido de indicação de representantes para compor a CPI´, disse Otavio Leite. ´Houve forte adesão da maioria absoluta das legendas, o que revela a importância do tema´, destacou Macris. Ao todo, 16 partidos apóiam a iniciativa.

O objetivo principal da comissão é identificar as causas, conseqüências e os responsáveis pelo ´apagão aéreo´ no Brasil, desencadeado a partir do acidente entre um Boeing da Gol e um jato Legacy, que vitimou 154 passageiros em setembro do ano passado.

A principal justificativa para a criação da comissão é a dimensão que a crise aeroportuária ganhou no Brasil. Além de questões ligadas à segurança do tráfego aéreo, o documento observa que o ´apagão aéreo´ abrange aspectos ligados à infra-estrutura dos aeroportos, aos consumidores e às companhias aéreas - que não raro praticam o overbooking, além de cancelarem e atrasarem seus vôos com freqüência.

´A CPI atuará fortemente na avaliação da crise. Vamos diagnosticar o quadro e apresentar caminhos e soluções. A crise não se restringe ao setor aéreo, mas abrange questões como a segurança dos vôos e os negócios´, explicou Macris. ´Essa não é uma investigação contra o governo Lula, mas a favor do país´, completou Pannunzio.