Seu browser não suporta JavaScript!

10/05/2011 | Blog da Bancada do PSDB na Câmara e no Senado

Deputados criticam ministra da Cultura por embolsar pagamento irregular de diárias

Por Letícia Bogéa

Os deputados Rogério Marinho (RN) e Otavio Leite (RJ) reprovaram a atitude da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, de aceitar pagamento irregular de diárias por viagens em que não houve agenda oficial. Eles classificaram de antiético tal comportamento. Após as denúncias, a ministra afirmou que devolverá aos cofres públicos os valores recebidos por dias não trabalhados.

Ana de Hollanda marcou compromissos oficiais fora de Brasília, sobretudo no Rio de Janeiro, às sextas e segundas-feiras. Ela recebeu diárias pelos sábados e domingos de folga, segundo matéria do jornal “Correio Braziliense”. A reportagem diz ainda que a ministra embolsou, nos últimos quatro meses, R$ 35,5 mil por 65 diárias – em pelo menos 16 desses dias ela não teria agenda oficial.

Para Otavio Leite, é lamentável que condutas antiéticas aconteçam no governo. “Esse tipo de comportamento não é condizente com uma postura correta. A ministra deveria ter sido alertada em relação a isso”, ressaltou. Diante do ocorrido, o parlamentar afirmou que a devolução é o mínimo que a ministra deve fazer, além de se retratar com a sociedade.

Na opinião de Rogério Marinho, a prática tem sido recorrente no governo federal. Funcionários aproveitam as vantagens da administração pública em detrimento da legislação e de uma conduta ética. De acordo com ele, os auxiliares do primeiro escalão deveriam dar o exemplo. “Não é a primeira vez que isso acontece nesse governo e com certeza não será a última”, lamentou.

O tucano criticou o governo por anunciar que tem a cultura como prioridade, mas não atuar em defesa do setor. “O governo, no início desse ano, cortou as emendas parlamentares que foram feitas e estavam dentro do Fundo Nacional de Cultura. Ele mostra na prática que não tem compromisso com a cultura”, concluiu.

Não é a primeira vez que Ana de Hollanda se envolve em uma polêmica envolvendo o ministério. A liberação milionária de recursos para a cantora Maria Bethânia, no início deste ano, também gerou críticas. A artista conseguiu aprovação do Ministério da Cultura para captar R$ 1,3 milhão via Lei Rouanet e criar um blog. De acordo com a coluna de Mônica Bergamo, do jornal “Folha de S.Paulo”, o projeto foi batizado de “O Mundo Precisa de Poesia”. A cantora Gal Costa recebeu aval para captar R$ 2,2 milhões para a realização do projeto “Tom de Gal”, com interpretações de músicas de Tom Jobim, pela Lei Rouanet.