Seu browser não suporta JavaScript!

24/04/2009 | Jornais O Globo e Valor

Deputados pedem investigação sobre uso de suas cotas de passagens

BRASÍLIA - Cinco deputados pediram nesta sexta-feira investigação nas suas cotas de passagens aéreas. Isso porque haveria registro de pessoas desconhecidas como beneficiários dos bilhetes. A Casa suspeita de que haveria um esquema de venda de parte da cota de passagens para agências de viagens. ( Relembre os escândalos do Congresso )

Na semana passada, uma reportagem do site Congresso em Foco mostrou que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, e Eros Grau, também ministro do Supremo, teriam sido vítimas do esquema. Eles apareceram como beneficiários de bilhetes na cota dos deputados Paulo Roberto (PTB-RS) e Fernando de Fabinho (DEM-BA), respectivamente, embora tenham apresentado notas que comprovam a compra das passagens. O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), abriu uma investigação para apurar o caso . O esquema também está sendo investigado pelo Ministério Público Federal .

Desconfiados de que teriam sido envolvidos no esquema os deputados Nazareno Fonteles (PT-PI), Otavio Leite (PSDB-RJ), Vieira da Cunha (PDT-RS), Nelson Marquezelli (PTB-SP) e João Carlos Bacelar (PR-BA) pediram que a Casa investigue o caso. A investigação será incluída na sindicância aberta pela Câmara.

A Câmara ainda precisa votar o projeto de resolução que estabelece as novas regras para o uso de passagens . No início da próxima semana, deverá fazer uma reunião de líderes para definir o texto da proposta. A ideia é permitir que apenas os deputados e assessores no exercício da função possam viajar. O texto poderá ser emendado em plenário, já que muitos deputados reclamam que, com as novas regras, não poderão levar suas esposas nas viagens.