Seu browser não suporta JavaScript!

24/11/2006 | O Estado de São Paulo/ on line

Deputados do Rio assumem compromisso com Cabral

Ele conseguiu, até mesmo de parlamentares adversários, o compromisso de harmonizar as emendas da bancada ao Orçamento da União para 2007

RIO - Surpreendendo mais uma vez ao adotar o tom conciliador entre políticos de diferentes correntes, o governador eleito do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), encerrou nesta sexta-feira a primeira fase da transição reunindo-se com deputados federais atuais e eleitos. Ele conseguiu, até mesmo de parlamentares adversários, o compromisso de harmonizar as emendas da bancada ao Orçamento da União para 2007 às prioridades do seu primeiro ano de governo. A atual governadora, Rosinha Garotinho (PMDB), nunca promoveu encontro similar.

Na quinta, Cabral determinou que cada secretário corte 30% do custeio de suas pastas e recebeu elogios. ´A reunião foi muito positiva. Tenho uma expectativa muito boa de que as emendas da bancada possam contemplar todas as demandas do Estado, como saneamento, metrô, Pan-Americano, arco rodoviário´, disse Cabral. ´Sabemos que a luta entre os Estados é muito grande, mas temos uma agenda importante que sensibiliza o presidente´, disse Cabral, referindo-se à aliança que fez com presidente Luiz Inácio Lula da Silva de olho em recursos federais.

Será por meio das emendas coletivas da bancada, além das individuais, que Cabral espera viabilizar seus pedidos ao governo federal. O efeito político de reuniões como a desta sexta ele espera utilizar para evitar que os recursos sejam contingenciados. ´Bancada unida libera (recursos). Banca desunida, vai para a Bahia´, concordou Rodrigo Maia (PFL), um dos adversários políticos que esteve no encontro.

O vice-prefeito Otavio Leite (PSDB), deputado eleito que também não faz parte do grupo de Cabral, gostou tanto do encontro que sugeriu que se repita mensalmente em 2007. ´Respiramos uma atmosfera de união em defesa do Rio. Mais do que a boa vontade, é preciso ter a organização instituída no futuro´, disse.

Financiamentos

Cabral embarca nesta noite para Washington, onde terá, na semana que vem, reuniões com diretores do Banco Mundial e do Banco Interamericano de Desenvolvimento. Ao lado do governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), ele tentará abrir portas para futuros financiamentos internacionais.

Na volta, ele desembarca em Brasília para uma reunião com a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef. Escoltado pelos deputados fluminenses Jorge Bittar (PT), Simão Sessim (PP) e Alexandre Santos (PMDB), ele vai pedir à ministra a liberação de cerca de R$ 270 milhões de emendas do Rio para o orçamento deste ano que ainda não foram liberados. Não se fará de rogado, mesmo sem ter sentado ainda na cadeira de Rosinha. À revelia da governadora, Cabral já assumiu a interlocução com o governo federal, inclusive acompanhando o presidente Lula nas viagens presidenciais ao Rio.

Alexandre Rodrigues