Seu browser não suporta JavaScript!

08/07/2003 | Jornal O Dia

Disputa no ninho tucano para 2004

PSDB tem seis pré-candidatos de olho nas eleições para a Prefeitura do Rio

Os tucanos já começaram a colocar os bicos para fora do ninho, tentando abocanhar um alimento apetitoso: a candidatura à Prefeitura do Rio. O PSDB tem pelo menos seis nomes de peso que atuam nos bastidores para disputar as prévias do partido para as eleições do ano que vem. Um dos motivos que tornam a prefeitura tão atrativa é o fato de a cidade sediar, em 2007, os jogos Pan-Americanos.

Os principais nomes que já despontam são: Denise Frossard; Otavio Leite; o recém-chegado Eduardo Paes; o deputado estadual estreante Luiz Paulo Corrêa da Rocha; o candidato derrotado ao Senado, Artur da Távola; e o derrotado à prefeitura, Ronaldo Cezar Coelho. Apesar de tantos tucanos querendo vôo próprio, ainda há corrente no partido favorável à aliança com Cesar Maia (PFL), que tentará a reeleição.

As prévias vão acontecer possivelmente em dezembro. Para os pré-candidatos e grande parte do PSDB, juntar-se ao PFL de Cesar é a morte da legenda. “A essência do partido é a disputa pelo poder”, avisa o deputado estadual Otavio Leite.

Otavio Leite rejeita as alianças. Luiz Paulo, primeiro mandato Deputada mais votada do Rio é forte concorrente

Deputada mais votada do Rio é forte concorrente

Pelos seus 385 mil eleitores, a deputada federal tucana Denise Frossard sai na disputa com um bico de vantagem. “É natural que surja meu nome. Fui a deputada mais votada do Rio e do Brasil. Não posso esconder a honra e a simpatia por administrar uma cidade como o Rio. Estou preparada para ser desde prefeita de Porciúncula a presidente do Brasil”, avisa a ex-juíza.

No entanto, articuladores tucanos têm projetos para a tucana que não chegam a sobrevoar o Palácio da Cidade, sede da prefeitura, mas sim o Guanabara, no Governo do estado, em 2006. Foi Denise Frossard que deu abrigo no ninho tucano a Eduardo Paes, em maio. O deputado federal de 180 mil eleitores estava cansado de brigar por espaço com Cesar no PFL e pode disputar a candidatura com a anfitriã.

Mas o pouco tempo de PSDB é um fator que pode enfraquecer seu nome. Segundo um tucano, Paes entra “no fim da fila” pela disputa. Ser candidato a vice e compor chapa não empolga o deputado: “Não tenho vocação para vice, mas não descarto nada”.