Seu browser não suporta JavaScript!

20/09/2012 | Ascom Otavio Leite

Em corpo a corpo no Centro, Leite propõe assistência jurídica para à população

O candidato à prefeitura carioca Otavio Leite fez corpo a corpo na tarde de hoje na porta do Tribunal de Justiça, no Centro do Rio. O candidato estava acompanhado de militantes e de candidatos a vereador. Segundo Otavio, uma de suas propostas é implantar um núcleo de apoio jurídico aos cidadãos em cada região administrativa da cidade: ”Vamos oferecer este atendimento à população, formalizando um convênio entre a prefeitura, a OAB e as faculdades de Direito da cidade. O serviço atenderá tanto aos casos de pessoas que buscam seus direitos sobre os mais diversos aspectos, como também para aqueles que desejem abrir seu pequeno negócio, sua empresa, afirmou.”

Durante a panfletagem, o candidato conversou com muitas pessoas, e as queixas se repetem sobre os problemas na área de saúde, educação e transportes, principalmente. Para o camelô Cícero Resende, de 58 anos, “a saúde está péssima, falida. Os pacientes têm dificuldades para marcar consultas, exames tão nem se fala. As emergências, e digo por que já precisei, estão sempre cheias”, protestou. Ele aproveitou para reivindicar melhores condições de trabalho para os ambulantes e camelôs nas ruas: “Precisamos trabalhar, ter nosso sustento. Só sabem nos reprimir e não nos dão solução. Tenho filhos e netos para criar”, finalizou.

Para o estudante Richard Elinaldo, de 18 anos, morador do Cantagalo, em Ipanema, faltam oportunidades para os jovens na cidade, e ele endossou a proposta do candidato: “Acho importante que tenhamos esses polos de desenvolvimento nas regiões administrativas, e também esse auxílio jurídico”, afirmou. Outro problema levantado pelo jovem, diz respeito ao problema dos lixões espalhados na comunidade onde vive. De acordo com ele, “têm obras paradas do atual prefeito que viraram lixões. São espaços onde poderiam se construir creches, praças, ou até mesmo postos de coleta de lixo, mas de forma organizada,” concluiu.

Crédito da foto: Marcelo de Mattos