Seu browser não suporta JavaScript!

04/09/2013 | Portal R7

Em reunião com ministro da Justiça, deputados do Rio pedem que PF investigue caso Amarildo

Um grupo de parlamentares liderados pelo deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) se reuniu em Brasília com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, na manhã desta quarta-feira (4), para pedir que o caso do desaparecimento do pedreiro Amarildo de Souza seja investigado pela Polícia Federal. O pedido de intervenção foi assinado por deputados como Luiz Paulo (PSDB), Clarissa Garotinho (PR) e Paulo Ramos (PDT). O documento foi entregue ao ministro, que, segundo Garotinho, foi bastante solícito e pareceu estar favorável à petição.

Segundo o ex-governador do Rio de Janeiro, o pedido, já protocolado no Ministério Público, foi feito após o suposto silêncio do secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, sobre o caso. A vítima desapareceu no dia 14 de julho, após ser abordado por policiais militares e levado para sede da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da Rocinha, zona sul do Rio.

— Diante da inércia do secretário de Segurança Pública, em dar uma explicação plausível ao caso do desaparecimento de Amarildo, eu protocolei junto ao Ministério da Justiça, um ofício, pedindo que sejam adotadas providências para que a investigação seja feita pela Polícia Federal.

Ainda de acordo com o deputado, o pedido para que a PF entre no caso Amarildo é permitido por lei — artigo 144 da Constituição/Lei de Direitos Humanos —, desde que haja repercussão nacional ou internacional e que tenha violado princípios dos direitos humanos.

Os deputados Chico Alencar (Psol), Alessandro Molon (PT), Jandira Feghali (PC do B), Otavio Leite (PSDB), Simão Sessim (PP), Líliam Sá (PR), Paulo Feijó (PR), Adilson Soares (PR) e Francisco Floriano (PR) também participaram da reunião.