Seu browser não suporta JavaScript!

05/07/2011 | Faxaju

Emancipação política de Sergipe na Câmara

Em uma sessão histórica, atendendo a um requerimento do deputado federal André Moura (PSC), foi realizada ontem, no plenário da Câmara dos Deputados em Brasília (DF), uma Sessão Solene em homenagem aos 191 anos de Emancipação Política do Estado Sergipe. Na oportunidade, o governador Marcelo Déda (PT) entregou a Medalha do Mérito Aperipê, à Câmara dos Deputados, através do presidente da Casa, deputado Marco Maia; e ao representante presidente do Senado, 2º vice-presidente da Casa, senador Wilson Santiago (PMDB/PB).

Presidida pelo deputado André Moura, a sessão também foi marcada por discursos dos deputados sergipanos Otavio Leite (PSDB/RJ) e Givaldo Carimbão (PSB/AL), do deputado federal Delegado Protógenes (PCdoB/SP), sem contar o ministro sergipano do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres de Britto; o vice-governador Jackson Barreto (PMDB); a senadora Maria do Carmo (DEM); e o ex-governador Albano Franco (PSDB).

Em seu discurso, André Moura ressaltou a história pela luta da Emancipação, destacou a importância de ilustres sergipanos na cultura, na política e no judiciário do Brasil e fez referência às palavras do historiador Luiz Antônio Barreto que disse, “a emancipação política de Sergipe resultou de uma luta madura”.

Segundo André Moura a emancipação é um sentimento telúrico, um movimento cívico que só se completa verdadeiramente quando não houver mais nenhuma pessoa passando fome, nenhuma criança fora da escola, nenhuma família sem casa, trabalho e assistência à saúde, quando não houver mais nenhum jovem sem estudo e oportunidades, quando todos os sergipanos puderem viver um tempo de paz, prosperidade e justiça social.

“Temos muito trabalho pela frente, temos muito ainda o que fazer por Sergipe e pelo Brasil e lembro que liberdade não se toma, tão pouco se compra, a riqueza da nossa história mostrou que com paciência e muito trabalho a conquistamos” concluiu.

Ao discursar para os presentes, o governador Marcelo Déda disse que “nenhum povo pode ser medido pelos quilômetros de seu território, mas pela amplitude da sua alma, pela grandeza do seu talento, pela significação de sua coragem. Sergipe é do exato tamanho do Brasil. Nem menor, nem maior. Sua alma é gigante quanto gigante é a nação brasileira”.

A exaltação a Sergipe foi feita em meio a citações de sergipanos ilustres. Tobias Barreto, primeiro grande filósofo brasileiro e que inspirou todo o Direito do país, Silvio Romero, que investigou o folclore brasileiro, Fausto Cardoso, que tencionou os costumes conservadores da elite do Brasil, Manoel Bonfim, qualificado como um dos mais criativos pensadores sociais desta Nação, Gilberto Amado, expoente da política externa do país, João de Seixas Dória, lutador do nacionalismo e da política externa independente, Gilvan Rocha, que contestou o arbítrio e clamou pelas liberdades democráticas, Agonauto Pacheco, que resistiu à ditadura.

“Onde se olhar vai se encontrar a participação do povo de Sergipe na edificação desta Nação. Sergipe merece a homenagem que a Câmara dos Deputados lhe presta por tudo que fez e fará pelo Brasil”, concluiu Déda, relembrando que a tribuna do Congresso Nacional é “a mais nobre e a mais bela das tribunas do Brasil”, pois é “o mais sólido alicerce da Nação pela vontade soberana do povo brasileiro”.

Também discursaram os senadores Eduardo Amorim (PSC) e Valadares (PSB). “Sergipe, que é um nome de origem tupi e significa ‘Rio do Siris´, tem, para nós, um significado muito mais amplo. Nos inspira a sergipanidade, sentimento investido na nossa própria identidade, na trajetória da nossa história, na bravura, na coragem e na perseverança da nossa gente. No orgulho que temos de pertencermos a esta terra e dela fazer parte”, discursou Amorim.

Falaram ainda os deputados federais Laércio Oliveira (PR), Heleno Silva (PRB), Márcio Macedo (PT), Rogério Carvalho (PT), Almeida Lima (PMDB) e Valadares Filho (PSB). Também estava presente a presidente da Assembleia Legislativa, deputada estadual Angélica Guimarães (PSC), acompanhada dos deputados Venâncio Fonseca (PP), Augusto Bezerra (DEM), Capitão Samuel (PSL), Goretti Reis (DEM), Garibalde Mendonça (PMDB), Conceição Vieira (PT), Maria Mendonça (PMDB), Antônio dos Santos (PSC), Zezinho Guimarães (PMDB) e Zé Franco (PDT).

Outros presentes foram os prefeitos Edvaldo Nogueira (Aracaju) Fábio Henrique (Nossa Senhora do Socorro), Uita Barreto (Ribeiropólis), Eduardo Prado (Santa Rosa de Lima), Denisson Déda (Simão Dias) e Lara Moura (Japaratuba); além dos presidentes das Câmaras Municipais, vereadores Emmanuel Nascimento (Aracaju) e Pedro da Cultura (Japaratuba); o presidente do Tribunal Regional do Trabalho de Sergipe, Desembargador José Antônio Andrade Cardoso; além do corregedor do Tribunal de Contas de Sergipe, conselheiro Reinaldo Moura.