Seu browser não suporta JavaScript!

10/06/2013 | Portal UOL

Equipamentos adquiridos para Pan-2007 ficam ‘esquecidos’ num depósito da PF por seis anos

A Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio guarda em seu depósito equipamentos que o governo comprara em 2007 para utilizar nos jogos Pan-Americanos de 2007. São quatro aparelhos de raio X e 110 detectores de metais. Custaram R$ 1 milhão, em valores da época. Esquecidos, aguardam há seis anos pela chegada de alguém que os ligue na tomada.

Ao tomar conhecimento do descalabro, o procurador da República Fernando José Aguiar de Oliveira decidiu agir. Cutucou a PF, acordando-a para suas responsabilidades. Caindo em si, o delegado Fernando Durán Poch, diretor de Administração Logística da PF, informou à Procuradoria que irá transferir o maquinário para a Infraero, estatal que administra os aeroportos.

E o procurador Fernando José: “Não se pode admitir que um patrimônio desse vulto estivesse na sede da Polícia Federal, há tanto tempo, sem destinação alguma. Vamos acompanhar esse caso até o final. Enquanto esses bens não tiverem em efetiva operação, não vamos descansar.”

O ex-ministro Delfim Netto disse certa vez: “se o governo comprar um circo, o anão começa a crescer.” Imagine-se o que pode suceder num instante em que o Estado brasileiro organiza eventos grandiosos como a Copa-2014 e as Olimpíadas-2016.

- Atualização feita às 20h32 desta quarta (10): o deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara, enviou ofício ao diretor-geral da PF, Leandro Daiello Coimbra. No texto, pede esclarecimentos: “Ao cumprimentá-lo cordialmente, e em face da notícia divulgada pelo jornalista Josias de Souza em seu blog no dia 10 de julho de 2013, solicito esclarecimentos desta instituição sobre as razões que justificaram manter, por tanto tempo, equipamentos como 4 equipamentos de Raio X e 110 detectores de metais em um depósito.” O deputado indaga se “houve algum óbice” para a utilização dos equipamentos por órgãos públicos.