Seu browser não suporta JavaScript!

06/08/2015 | Jornal Lance

'Estou indignado', diz relator do Profut sobre veto de Dilma aos clubes-empresas

Relator da Medida Provisória 671 (Profut), que foi sancionada ontem por Dilma Rousseff, o deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ) foi pego de surpresa com o veto da presidente ao artigo que a abria a possibilidade dos clubes de futebol se tornarem sociedades empresariais, os chamados "clubes-empresas". O que mais irritou o parlamentar foi o fato de nenhum representante do governo ter lhe procurado para debater a proposta desde que ela foi incluída no relatório apresentado por ele no final de junho.

- Estou indignado. Desde que incluí as sociedades empresariais no texto, ninguém do governo me procurou para ao menos comentar a iniciativa - afirmou o relator da MP do Profut.

O artigo vetado abria a possibilidade dos clubes de futebol se tornarem empresas, que resultaria em mudanças no modelo de gestão com uma atuação mais profissional. Para tanto, os clubes que optassem por essa mudança, teriam como benefício a redução na carga tributária com o pagamento de uma taxa única de 5% que abrangeria todos os impostos incidentes à categoria. Esse percentual proposto reduziria em até quatro pontos percnetuais a taxa de impostos que é paga hoje pelos clubes.

- Lamento profundamente a miopia do governo de não enxergar que as sociedades empresariais permitiriam uma modernização ainda maior do futebol brasileiro - comentou Leite.