Seu browser não suporta JavaScript!

29/11/2011 | Portal R7

Filme JK no exílio é lançado no Rio

Depois do filme de Tancredo, agora o de JK no Exílio

Tendo Maristela Kubitschek, a filha do ex-presidente, e seu marido, Rodrigo Lopes, a receberem os convidados, foi lançado, no Museu da República, o documentário de 52 minutos JK no exílio, uma realização Brasil-França, com produção assinada por Charles Cesconetto e direção de Bertrand Tesson.

Também recebiam, a primeira-mãe do Estado, a diretora do museu, Magaly Cabral, e Cabral-pai . O imortal Arnaldo Niskier, que dá o seu depoimento ao documentário, com a Ruth, o presidente da OAB-Rio, Wadih Damous, entre as presenças nos jardins do museu, onde foi montado o toldo e exibido, num telão, o filme, narrado pelo próprio JK, com a ajuda de sua secretária Maria Alice Berengas. Trata-se de uma preciosidade histórica, pois há partes até então desconhecidas inclusive pela família do ex-presidente. Em uma das passagens, JK conta que, para conversar com a secretária que o acompanhou em Paris, sem serem ouvidos pelo "grampo", era preciso ligar o som bem alto. A repressão o seguiu por toda parte. Até no Velho Mundo...

Na foto: Márcio Braga, Otavio Leite e Sérgio Cabral pai

Crédito da foto: Marcelo Borgongino