Seu browser não suporta JavaScript!

04/03/2008 | Folha de São Paulo

Gabeira aceita concorrer no Rio, mas impõe condições

Deputado do PV diz que não fará oposição ao governo do Estado nem ao federal

PPS e PSDB vão discutir com as bases a indicação; ´a idéia é constituir a necessidade de uma frente de salvação da cidade´, defende Gabeira

O deputado federal Fernando Gabeira (PV), 67, aceitou candidatar-se à Prefeitura do Rio pela coligação de seu partido com o PSDB e o PPS e afirmou que não pretende fazer campanha como oposição aos governos federal (PT) e estadual (PMDB).

Em reunião com representantes das três siglas, Gabeira impôs condições para disputar o cargo: a candidatura não será de oposição aos governos federal e estadual, mas centrada nos problemas da cidade; dados das contas de campanha abertos na internet; a campanha não deve atacar adversários nem sujar a cidade; não aceitar indicações políticas para cargos no governo, se vencedor.

Segundo Gabeira, esses seriam os elementos básicos para formar o que chamou de ´frente de salvação´ da cidade.

´Os partidos terão um papel desde que tenham quadros competentes capazes de contribuir´, disse. ´Não vamos fazer oposição ao governo federal ou estadual. O que não significa que vou deixar de ter minhas idéias e posições. Mas o fundamental é tentar constituir a possibilidade de tirar a cidade da crise e abrir um horizonte de crescimento econômico.´

PSDB e PPS vão discutir com as bases a indicação de Gabeira. Uma nova reunião entre os partidos está marcada para terça.

Gabeira não descarta a colaboração do prefeito Cesar Maia (DEM) na frente. ´A idéia é constituir a necessidade de frente de salvação da cidade.´

Caso a candidatura se concretize e o cenário com sete candidatos se mantenha, a coligação teria quase 13 minutos do total de 60 minutos de propaganda na TV diariamente. Ficaria abaixo apenas da coligação PMDB-DEM, caso se confirme as candidaturas de Solange Amaral (DEM) a prefeito e Leandro Picciani (PMDB) a vice. O governador Sérgio Cabral ainda tenta fazer do secretário de Turismo, Eduardo Paes, o nome do PMDB.

Os tucanos contam com três pré-candidatos: o deputado federal Otavio Leite, o deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha, e a vereadora Andréa Gouvêa Vieira. Já foram feitos diversos debates no partido sem alcançar uma definição.

O PPS aguarda resposta da ex-deputada Denise Frossard, pré-candidata da sigla, para confirmar o apoio a Gabeira.

Com a saída da disputa do deputado estadual Wagner Montes (PDT), e a possível não-candidatura de Frossard, o senador Marcelo Crivella (PRB) aparece como um dos nomes fortes. Ele deve ter o apoio do presidente Lula, mesmo com o PT tendo candidato: Alessandro Molon, Benedita da Silva e Vladimir Palmeira disputam a candidatura do partido.