Seu browser não suporta JavaScript!

18/04/2005 | Jornal O Globo

Governo destina R$ 311 milhões para o ProJovem

O governo federal assinou ontem os dez primeiros convênios do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem), que atenderá 14.400 pessoas de 18 a 24 anos em dez capitais. O ministro Luiz Dulci (Secretaria Geral da Presidência), a quem está subordinado o ProJovem, garantiu que não faltará dinheiro para execução do programa, cuja meta é atender a 200 mil jovens até o final do ano. No Orçamento da União de 2005 estão destinados R$ 311 milhões para o ProJovem.

Programa prevê ajuda mensal de R$ 100

Serão beneficiados jovens que moram em Boa Vista, Rio de Janeiro, Porto Velho, Florianópolis, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Fortaleza, Campo Grande e Porto Alegre. O programa destina-se a jovens que concluíram a quarta série, mas não terminaram o ensino fundamental e não têm contrato formal de trabalho. Esses jovens vão receber uma bolsa de R$ 100 mensais e participarão de cursos de aceleração de aprendizagem e profissionalizantes.

Pelos acordos assinados ontem, o governo fornecerá material didático e equipamentos de informática, pagará a bolsa dos estudantes e os salários dos professores. Os municípios entrarão com o espaço físico, o material de consumo e os livros.

O vice-prefeito do Rio, Otavio Leite, disse que a prefeitura já publicou o edital de constituição do comitê gestor do ProJovem e marcou para dezembro a conferência nacional da juventude. Segundo ele, os jovens carentes e portadores de alguma deficiência terão prioridade de atendimento.

Convênio deve ser assinado com capitais ainda este ano

No Rio de Janeiro, neste ano, serão abertas 1.200 vagas. Em Boa Vista serão 1.500, em Porto Velho, 2.700, e em Florianópolis, 1.800. Nas demais capitais serão 1.200 vagas. Segundo Dulci, ainda neste ano serão assinados os convênios com as demais capitais e o Distrito Federal.